Como decorar a sua casa de uma forma simples e bonita

Saber como decorar a sua casa não é apenas uma questão de estética, mas também de função, identidade, conforto e, portanto, felicidade humana. A princípio, compor um ambiente de forma agradável pode parecer uma tarefa assustadora, porém, pode ser feita com a orientação certa.

Além disso, com a ajuda de um profissional pode fazer uma grande diferença, como o design de interiores, pois será possível concretizar com uma visão mais crítica e precisa das preferências e necessidades do cliente relacionadas com o ambiente.

Há quem prefira uma decoração simples e como será analisado ao longo do texto, os projetos podem ser adaptados aos mais variados estilos para satisfazer a simplicidade, que é relativa. É importante que, independentemente do projeto, as pessoas definam o que está sendo feito para evitar resultados indesejáveis.

Estilos de Decoração Chave e Simplicidade

Há muitos caminhos a seguir na hora de decorar, mas se você está procurando algo simples ou não, é essencial identificar características que vão se combinar para facilitar a seleção. Entre os principais estilos que podem ser encontrados estão:

Moderno;
Tropicais;
Rústico;
Industriais.

Os ambientes modernos correspondem a uma combinação de elementos neutros com mobiliário mais funcional, como em um exaustor banheiro residencial, onde se privilegia o melhor aproveitamento do espaço com materiais diferenciados. O uso do branco é muito comum em superfícies e os tons são mais proeminentes em objetos decorativos, por exemplo o vermelho.

Por outro lado, o estilo tropical tem cores que podem transmitir mais serenidade, como verde, azul, amarelo, branco e lilás, que são considerados tons mais neutros. Objetos podem ser simulados, como plantas, frutas e animais, mas sempre evite grandes contrastes de cor e quantidade de elementos no ambiente. Desta forma, podemos dizer que é uma decoração mais refinada que não valoriza a extravagância.

No que diz respeito ao estilo rústico, a principal relação que se estabelece é com a antiguidade e o conforto, por exemplo,  a contratação de uma empresa de raspagem de pisos de madeira, azulejos e o aspecto antigo. É claro que, como em qualquer estilo, existem diferentes formas de fazê-lo no ambiente, mesmo em combinação. Como neutros e pastéis são valorizados, como na aplicação de resina em piso e elementos em tons de cimento queimado.

O modelo industrial pode acomodar facilmente algumas aplicações relativamente simples, como janelas de vidro para a sala de estar, guarda corpo vidro para escadacinza ou mesmo preto, uso de inox e luminárias pendentes. Esta é uma decoração mais moderna, com menos elementos do que algumas alternativas, mas com elementos de grande presença.

Para quem quer apostar na simplicidade, todos os estilos acima podem ser seguidos, no entanto, deve-se ter o cuidado de não decorar. Outro estilo que pode se encaixar nesse perfil de proprietário é o minimalismo, onde a funcionalidade de algumas peças é colocada ainda mais fortemente. A luz natural é muito popular, sendo o cinza, o branco e o preto os tons dominantes. A extravagância e a acumulação são incompatíveis com esta alternativa onde apenas o essencial tem precedência.

Elementos como prateleiras, sofás, candeeiros e mesas muitas vezes compõem um espaço minimalista. Deve-se notar que na composição de qualquer espaço, diferentes traços de estilo podem ser combinados para atingir os objetivos estabelecidos devido ao potencial de adaptabilidade.

Como garantir um ambiente mais realista?

A autenticidade é um dos pontos fulcrais da decoração, sobretudo tendo em conta o seu impacto no quotidiano, sobretudo no conforto. Para dar personalidade ao ambiente, além de escolher um ou mais estilos que tenham definição real, podem ser utilizados elementos como fotografias, objetos decorativos como miniaturas, livros, flores, quadros e utensílios selecionados.

Cada escolha tem um traço de personalidade e a capacidade de perceber os gostos é importante para um ambiente autêntico. Por isso, é interessante estabelecer um caminho a seguir, ou seja, que haja harmonia e que esse caminho esteja o mais ligado possível aos anseios de cada ambiente, por isso o planejamento O planejamento é importante e fundamental para alcançar esse resultado. .

Assim podemos concluir que são tantas as opções para montar uma decoração simples e autêntica em qualquer lugar, que importa determinar o estilo a seguir ou apostar na combinação de interesses. Em caso de dúvida, você deve procurar a assistência de um profissional qualificado para evitar qualquer dano.

Descubra a seguir o que é a portabilidade de finanças habitacionais

Assim como muitos termos utilizados dentro do mercado, ou até possibilidade de negócios, a portabilidade de finanças habitacionais é uma realidade possível, porém, conhecida por pouquíssimas pessoas.

Continuar lendo Descubra a seguir o que é a portabilidade de finanças habitacionais

Home equity: descubra qual imóvel pode ser usado como garantia

Uma dúvida que pode surgir na cabeça de muitos pode ser quais tipos de imóveis podem ser utilizados na hora de usá-los como garantia de empréstimos.

Quando falamos de home equity, por ser um meio de empréstimo pouco popular, entendemos que podem gerar diversas perguntas na cabeça daqueles que nos procuram para fechar negócio.

Continuar lendo Home equity: descubra qual imóvel pode ser usado como garantia

O que é Home Equity?

Você já ouviu falar em Home Equity? Trata-se de um tipo de empréstimo que, apesar de muita gente ainda não conhecer, vem crescendo cada vez mais no Brasil. Ademais, a tradução do termo podemos dizer que seria algo como ‘casa e patrimônio’.

Pois bem, ele é um tipo de empréstimo bem interessante, principalmente por possuir taxas de juros mais baixas e possibilidades de prazos maiores. Quer entender mais sobre o tema? Confira o artigo!

Home Equity: crédito com garantia de imóvel

O Home Equity é justamente um tipo de empréstimo no qual o tomador oferece seu imóvel como garantia. 

Este processo se caracteriza como a alienação fiduciária, na qual quem toma o crédito transfere o imóvel para quem está oferecendo o empréstimo, até que todas as parcelas sejam pagas. 

Quando surgiu o Home Equity?

O Home Equity também existe em outros países, e começou a ser implementado no Brasil em 2007. Até então, quem buscava empréstimo costumava utilizar o empréstimo pessoal. Porém, muita gente procurava opções com prazos mais longos e taxas de juros menores.

Foi nesta circunstância que surgiu o home equity. Com a existência de um imóvel como garantia, houve redução do risco de crédito, logo, foi possível que as instituições financeiras passassem a oferecer prazos mais longos para quitação, valores mais altos e taxas de juros mais baixas. 

Uma lei muito importante que ajudou na criação do home equity foi a 9.514, de 1997, da Alienação Fiduciária. Esta lei permitiu que operações de financiamento imobiliário fossem garantidas por:

  • Hipoteca;
  • Cessão fiduciária dos direitos creditórios de contratos de alienação;
  • A própria alienação fiduciária de imóveis;
  • Entre outras frentes. 

Ou seja, com a alienação fiduciária, permitiu-se a solicitação de bens como garantia para quitação de dívidas.

Hipoteca e Home Equity são a mesma coisa?

Muitas pessoas, quando ouvem falar de Home Equity, acabam associando à hipoteca. Porém, apesar de ambos os empréstimos oferecerem um imóvel como garantia, há uma diferença entre os termos.

Na hipoteca não há transferência do imóvel, enquanto no home equity a garantia fica sob propriedade da instituição financeira.

A hipoteca é muito comum em outros países, por exemplo, nos EUA. Por aqui ela já foi muito utilizada, porém cada vez mais, percebe-se a substituição desta modalidade pelo home equity.

Como fazer um empréstimo com garantia de imóvel?

Para pegar dinheiro emprestado com imóvel como garantia, o primeiro passo é ter um imóvel quitado ou financiado e solicitar uma proposta para alguma instituição financeira que trabalhe com este tipo de empréstimo. 

A instituição solicitará documentos do tomador e do imóvel, e, uma vez aprovado, realizará o contrato e liberará a quantia solicitada na conta corrente do tomador. O imóvel permanecerá em nome da instituição financeira até que o empréstimo seja quitado.

E não se esqueça, tanto antes de receber o empréstimo como durante o pagamento das parcelas, tenha sempre um bom planejamento financeiro para não se atrapalhar e gastar com juros e multas.

Citando um exemplo de alguém que fez um empréstimo como garantia de imóvel, mesmo não tendo um imóvel próprio, temos o José Carlos Magalhães, administrador de empresas. 

Querendo levantar recursos para investir em seu negócio, ele pediu ao seu pai, que possui uma chácara em Boituva, interior de São Paulo, para que fosse seu “fiador”. O pai de José Carlos aceitou e ele levantou a quantia necessária. 

“Meu pai acreditou no meu sonho e topou dar sua casa para que eu pudesse investir no meu negócio. Agora, com a renda adicional que minha microempresa gerará, eu pago as prestações da dívida e meu pai fica tranquilo”, diz José Carlos.

Características do home equity

Por fim, é importante reforçar que as regras do home equity acabam tendo variações entre as instituições financeiras, que acabam determinando o valor máximo e o valor mínimo do imóvel aceito como empréstimo. 

De maneira geral, o valor emprestado costuma ser de até 60% do imóvel, e o prazo de pagamento costuma chegar a 240 meses. Vale lembrar que a instituição financeira também faz uma análise do perfil do tomador. O valor das parcelas costuma chegar a até  30% da renda.

Texto: Conexão Financeira

Estrutura do imóvel: dicas na hora de comprar a casa dos sonhos

A compra de um imóvel é algo que exige muita cautela, pois é um investimento a longo prazo e que faz parte do sonho da vida de muita gente.

Continuar lendo Estrutura do imóvel: dicas na hora de comprar a casa dos sonhos