A alimentação coletiva para empresas

Toda e qualquer organização que possua um longo quadro de funcionários deve contar com os serviços de empresas de refeições coletivas.

Isso porque, de acordo com o dito popular, saco vazio não para em pé, e isso funciona para os colaboradores das empresas.

Além disso, oferecer almoço no refeitório do trabalho envolve economia de recursos do lado empresarial, uma vez que evita que o funcionário saia para comer em outros lugares, o que pode resultar em atrasos na volta do almoço.

Ainda assim, as empresas de alimentação industrial garantem comodidade, segurança no tipo de alimento oferecido e, sobretudo, mantêm os funcionários satisfeitos durante o expediente.

Sendo assim, preparamos este conteúdo exclusivo para que você entenda como funciona a alimentação coletiva para empresas.

Acompanhe.

Regras da refeição coletiva

Para oferecer uma boa refeição industrial é necessário seguir algumas poucas regras.

Em suma, as normas sobre refeição no local de trabalho são elaboradas e fiscalizadas pelo Ministério do Trabalho, através do Programa de Alimentação do Trabalhador – PAT.

Portanto, é dessa maneira que é definida as regras de alimentação no setor industrial, a fim de fornecer o que é de melhor a todos os funcionários das empresas que oferecem alimentação.

A legislação que assegura essa prática é baseada na lei 6.321/1976 e em seu decreto regulamentador, de número 5/1991.

Entre outras definições, o Ministério do Trabalho estabelece a obrigatoriedade de contratação de nutricionistas, quando as empresas optam por produzir as refeições no próprio local de trabalho, e orienta a respeito da organização do local onde a alimentação dos funcionários é fornecida.

Além do mais, a legislação adverte que as empresas com mais de 300 funcionários mantenha um refeitório em suas instalações.

Assim sendo, no caso das organizações com mais de 30 e menos de 300 funcionários, é necessário garantir o conforto e comodidade dos colaboradores durante as refeições.

Modalidades de prestação desse serviço

As empresas de refeições coletivas, geralmente, atendem por meio de três categorias.

Deste modo, o contratante, no caso, a organização interessada no serviço, pode contar com as seguintes opções:

  1. Serviço próprio;

  2. Contratação de fornecedores terceirizados;

  3. Contratação de uma empresa terceirizada, cadastrada no PAT.

Cabe destacar o funcionamento e tipo de serviço oferecido por cada uma das categorias citadas acima.

Serviço próprio

Sendo assim, as empresas que optam por garantir a alimentação dos seus funcionários entram na categoria de serviço próprio, pois elas mesmas ficam incumbidas de garantir tudo acerca do cardápio.

Neste sentido, elas são obrigadas a definir o tipo de prato, compra dos alimentos, cardápio, dentre outros fatores importantes.

Neste caso, uma cozinha é construída, bem como refeitório nas dependências da empresa.

A empresa também terá que ficar atenta a todos os insumos, a contratação de disk gelo, alimentação, e assim por diante.

Terceirização da alimentação coletiva

Neste contexto, as organizações contratam fornecedores responsáveis pela preparação das refeições, tanto na cozinha da própria empresa ou então na do fornecedor.

Além do mais, os alimentos podem ser disponibilizados por meio de cestas básicas mensais, montadas, embaladas e devidamente entregues aos colaboradores.

Assim, o conteúdo da cesta é composto pelos seguintes itens:

  • Arroz;

  • Feijão;

  • Macarrão;

  • Leite;

  • Óleo;

  • Dentre outros alimentos.

Entretanto, mesmo a comida sendo servida no local, a empresa precisa contar com serviços externos, como o gelo delivery, por exemplo, pois garante mais comodidade a empresa, especialmente durante os meses mais quentes do ano.

Fornecimento de benefícios por empresa cadastrada no PAT

Para oferecer vantagens e benefícios aos funcionários, as empresas contratam fornecedores registrados diretamente no PAT, que vão operar a distribuição da alimentação, tais como vales, tíquetes ou cartões de alimentação ou refeição.

Essa alternativa de prestação do serviço de alimentação dos colaboradores possui regras próprias e adequada para cada empresa.

De acordo com as regras estabelecidas pelo PAT, a organização que escolhe por fornecer o benefício alimentação aos seus empregados pode descontar do salário de cada trabalhador no máximo 20% do valor referente ao custo dos benefícios repassados.

Sendo assim, a concessão do benefício alimentação é conferida no contrato de trabalho ou em convenções coletivas, já que não há obrigatoriedade legal para o fornecimento.

Ademais, uma vez concedido, o benefício alimentação não pode ser incorporado ao salário, de acordo todos os efeitos legais, sejam obrigações tributárias ou verbas trabalhistas de cada empresa.

Portanto, você acabou de conhecer um pouco sobre como funciona a alimentação coletiva para empresas.

O serviço tem como principal objetivo oferecer alimentação de qualidade, comodidade e, acima de tudo, assegurar o bem-estar de todos os funcionários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *