Como fazer a gestão financeira da empresa: passo a passo

Você sabe como fazer a gestão financeira da empresa de forma inteligente?

Se ainda restam dúvidas, este artigo vai esclarecer a verdadeira importância da saúde financeira e os segredos de uma gestão eficiente.

Muito além de controlar o dinheiro que entra e sai, a administração das finanças tem um papel estratégico no crescimento dos negócios.

Afinal, a missão da empresa pode ser inspirar e ajudar os clientes, mas esse propósito não será atingido sem lucros e fluxo de caixa positivo.

E para controlar tantas variáveis, cálculos e projeções, você precisa das ferramentas certas e de uma boa dose de conhecimento.

Vamos começar pelo básico:

  • O que é a gestão financeira da empresa
  • Importância da gestão financeira empresarial
  • Controle de gastos na gestão financeira
  • Fluxo de caixa no controle financeiro
  • ERP de gestão financeira.

Quer dominar as finanças empresariais? Então aprenda agora como lidar com o dinheiro do negócio de forma mais assertiva e produtiva.

O que é a gestão financeira da empresa

Gestão financeira da empresa é um conjunto de atividades administrativas que controlam os fluxos monetários da organização, com o objetivo de maximizar os lucros.

O responsável pela gestão financeira deve desempenhar atividades de planejamento, elaboração de orçamentos, tomada de decisão de investimentos e outras funções que envolvem os recursos da empresa.

Enquanto a administração financeira é focada no fluxo de caixa, que se resume às entradas e saídas de dinheiro, a contabilidade tem o papel de mensurar o desempenho da empresa.

Juntas, as atividades financeiras e contábeis formam o quadro da saúde financeira da empresa, possibilitando seu equilíbrio e crescimento no mercado.

Importância da gestão financeira empresarial

A importância da gestão financeira fica ainda mais evidente no cenário competitivo e complexo da economia atual.

Isso porque uma gestão eficiente das finanças é responsável pelo equilíbrio entre receitas e despesas, que determina a capacidade do negócio em se manter e gerar lucros.

Apesar da relevância das finanças, 25% das empresas brasileiras fecharam 2018 endividadas, somando um saldo devedor de R$ 124 bilhões.

Os dados são da pesquisa do Serasa Experian, publicada na revista Exame, que chama atenção para o problema da falta de organização financeira.

Além disso, o relatório Sobrevivência das Empresas no Brasil do Sebrae de 2016 mostra que uma das principais causas de mortalidade das empresas é a falta de acompanhamento das receitas e despesas em longo prazo. 

Controle de gastos na gestão financeira

O controle de gastos é um ponto essencial da gestão financeira, pois a estratégia básica para obter lucro é vender mais e gastar menos.

Antes de colocar em prática o controle dos recursos, é preciso conhecer os diferentes tipos de gastos:

Investimentos

Os investimentos são gastos que envolvem aquisição de ativos e geração de rendimentos futuros para a empresa.

Cada tipo de investimento tem um tempo de retorno específico, por isso são divididos em ativos de curto, médio e longo prazo.

Despesas

As despesas são gastos que não estão diretamente relacionados à atividade produtiva da empresa, geralmente associados à parte administrativa.

Alguns exemplos de despesas fixas são custos com aluguel, energia e contas mensais em geral, enquanto as despesas variáveis podem ser comissões ou equipamentos.

Custos

Já os custos são gastos intrinsecamente ligados à produção e operações da empresa, que viabilizam as atividades comerciais.

Os principais custos fixos são salários, aluguéis de instalações e serviços de manutenção, ao passo que os custos variáveis são representados por matérias-primas e insumos.

Todos os gastos relatados devem ser contabilizados na gestão financeira da empresa, inclusive para embutir custos e despesas no preço final dos produtos e serviços.

Fluxo de caixa no controle financeiro da empresa

O fluxo de caixa é uma das ferramentas mais importantes para o controle financeiro da empresa, pois demonstra todas as entradas e saídas de dinheiro.

Muitas vezes, a falta de um controle do caixa é o primeiro passo para o atraso nas contas, a inadimplência, a tomada de um empréstimo e o caos financeiro.

O primeiro passo, portanto, é o rigor no registro.

Depois, vale a pena reforçar que o sucesso dessa área se baseia em planejamento, projeção e conexão total com os outros departamentos da empresa.

Afinal, para que a entrada de recursos seja maior do que a saída, é preciso mais do que boa vontade. 

Além disso, o fluxo de caixa deve ser pensado em ciclos, e os saldos anteriores devem ser comparados para realizar previsões e traçar estratégias.

Isso porque as movimentações são poderosos instrumentos gerenciais, capazes de antecipar padrões e direcionar a tomada de decisão.

Algumas dicas para manter um fluxo de caixa adequado são:

  • Mantenha processos e sistemas confiáveis para controlar suas finanças
  • Registre rigorosamente cada movimentação financeira do negócio
  • Construa um fluxo de caixa pragmático e atualize constantemente as informações
  • Prepare o fluxo de caixa para imprevistos como atrasos de pagamento
  • Elabore um controle financeiro estratégico para os momentos de alta e baixa rentabilidade
  • Acompanhe o fechamento diário do caixa
  • Em caso de atraso de pagamentos, priorize as contas que ameaçam as operações da empresa
  • Controle as contas a pagar e a receber para prever a disponibilidade financeira.

Software de gestão financeira

Lidar com tantos números, porcentagens e dados na gestão financeira é praticamente impossível sem um software adequado para organizar as informações e processos.

Felizmente, os sistemas de informação têm evoluído continuamente e já oferecem pacotes completos de recursos para agilizar a administração das finanças.

Hoje, é possível automatizar a maioria das tarefas com um software personalizado, capaz de integrar todos os dados financeiros da empresa.

Ao adquirir um sistema ERP com gestão financeira, você amplia a visão do negócio, reduz custos e identifica possíveis gargalos que levam à perda de dinheiro.

Para isso, vale a pena investir em soluções completas como o ERP Sankhya, que possui um módulo de gestão financeira avançado.

Com o software, você tem controle total do fluxo de caixa, margem de contribuição, controle de inadimplência, ponto de equilíbrio e várias funcionalidades essenciais.

Além disso, o diferencial do ERP Sankhya é oferecer dados concretos para a tomada de decisão, com direito a inteligência artificial e ambiente colaborativo.

O resultado é um aumento de produtividade de 45%, aumento de 100% na efetividade das decisões e melhoria de todo o controle organizacional.

Logo, se você quer uma solução para sair do vermelho ou atingir novos patamares de lucro, aposte no ERP Sankhya para dominar suas finanças.

 Esse artigo foi originalmente desenvolvido pela equipe de redatores da Sankhya Gestão Empresarial onde você pode encontrar vários conteúdos educativos sobre gestão empresarial. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *