Viajar com criança pequena: principais cuidados

Entre os medos de muitos futuros pais estão as viagens. Existe passaporte carimbado depois da família crescer? Sim, é possível continuar se aventurando com as crianças. 

A rotina irá mudar um pouco, talvez aquele dia cheio de atividades precise ser repensado, mas é possível ir a quase qualquer lugar do mundo com os pequenos.

Durante o passeio, cuidar da família pode ser menos cansativo do que a maioria pensa. Para isso, o planejamento será o seu melhor amigo. 

Um dos pontos que fazem muita diferença é a faixa etária das crianças, dependendo dela, algumas coisas precisam de mais atenção. Confira os principais cuidados.

Escolhendo o destino

O primeiro passo de uma viagem é escolher o destino. Se essa é a primeira vez levando o pequeno, uma dica é optar por lugares que não sejam tão distantes. Afinal, a primeira vez fora de casa não precisa ser uma Eurotrip, certo?

Isso não significa que as únicas opções são hotéis fazenda, praias ou resorts, apesar de serem ótimas escolhas. Para a primeira viagem, estar perto de casa é uma segurança de que se algo der errado, será possível voltar. 

Mas o conceito de perto pode ser relativo. Se o seu objetivo é sair do país, por que não optar por destinos na América do Sul? 

Dessa forma, a família conhece um novo país, pode explorar a sua cultura, mas encontra voos com menor tempo de duração, diminuindo o desconforto do pequeno.

Escolhido o destino, é importante pensar onde se hospedar. Hotéis são mais tradicionais e oferecem serviço de quarto e baby-sitter. 

Por outro lado, alugar um apartamento pode deixar a família mais a vontade, inclusive pela disponibilidade de ter a própria cozinha e poder fazer comidinhas caseiras.

Atenção para o voo

As companhias aéreas não costumam ter uma idade mínima para levar crianças, mas, em geral, é solicitado que o bebê tenha, pelo menos, sete dias. 

A empresa pode solicitar documentos que comprovem isso. Porém, é indicado esperar mais um tempo até se aventurar com essa nova vida pelo mundo.

Aos três meses, boa parte das vacinas já foram tomadas, o que oferece mais segurança para o bebê sair da sua zona de conforto. 

Antes de viajar, faça uma visita ao pediatra e pergunte as recomendações para o passeio, além de verificar se a criança está saudável para dar esse passo.

No momento de escolher o voo, uma dica esperta são as opções noturnas, que batem com o horário do sono. 

Assim, as chances de fazer uma viagem tranquila é maior. Caso essa não seja uma opção, tente combinar com os horários de soneca que o resultado será semelhante.

Em voos com escala, vale um esforço maior para encontrar a opção perfeita. Se o número de horas entre um avião e outro for muito pequeno, há risco de ter que correr com muitas malas pelo aeroporto. Agora, se forem muitas horas de escala, a criança pode se irritar e perder a paciência.

Na hora de embarcar, utilize os seus direitos. É possível manter o carrinho até o momento de embarque e, depois, os funcionários o despacham. Isso pode facilitar o tempo que antecede o voo, pois além de servir para a criança, é possível incluir malas e bolsas.

Quando fizer o check-in, pergunte se há opções para sentar no começo da aeronave, onde o espaço para as pernas é maior e é mais fácil acomodar as coisas. 

Além disso, veja a disponibilidade de berços para a criança tirar um cochilo — esse serviço pode ser cobrado a parte, mas vale o investimento.

O que levar?

A mala de mão será a sua melhor amiga nesta aventura, então opte por uma bolsa para ficar com as mãos livres. 

Leve fraldas, pelo menos, duas mudas de roupa, paninho para a boca, trocador, lenços umedecidos e remédios. Um casaquinho mais quente e uma manta são fundamentais para proteger o pequeno do ar condicionado.

As comidinhas também são ótimas aliadas, tanto para o voo, quanto para a viagem em si. Assim, você não fica dependendo do serviço de bordo ou da culinária local, que pode não agradar. 

Para o voo, leve mamadeiras com leite e algumas vazias para colocar água ou suco e servir ao pequeno.

Levar os biscoitos e salgadinhos favoritos pode ser uma carta na manga. Além disso, será preciso manter todos entretidos ao longo do voo, caso não durmam. Para isso, jogos em tablets e celulares podem ser boas escolhas.

Para as crianças não ficarem o tempo todo conectadas, levar livros de colorir, lápis de cor, jogos de cartas e dominó são algumas opções. Apenas tome cuidado para não levar brinquedos barulhentos, que podem atrapalhar a viagem dos outros a bordo.

Outros cuidados

Crianças têm uma necessidade pela rotina, pois isso faz com que se sintam seguras. Apesar de ser desafiador, tentar manter uma rotina de alimentação é uma boa maneira de fazer isso. 

Cuidados como exposição ao sol e as necessidades dos pequenos, agora, serão parte da viagem.

Isso significa entender que eles também têm limites e ficarão cansados, às vezes. Adequar o planejamento das atividades para que todos tenham a melhor experiência é essencial. 

Não esqueça de verificar os hospitais por perto da acomodação e tenha o número do seguro de viagem sempre por perto.

Texto: Gear Seo 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *