Tire as suas principais dúvidas sobre compra de imóvel por meio de financiamento

Comprar um imóvel próprio é um dos principais objetivos da população brasileira. Muitos sonham em sair do aluguel e investir em uma casa para chamar de sua, capaz de oferecer o aconchego e a tranquilidade que a pessoa sempre quis.

Quem pretende comprar um apartamento novo ou uma casa por meio do financiamento costuma ter algumas dúvidas sobre esse processo. Quais são os documentos que devem ser apresentados para que se possa fazer a avaliação do crédito? Há uma renda mínima que o comprador deve ter?

Se essas são questões presentes em sua mente, não se preocupe. Abaixo, entenda melhor algumas das principais perguntas envolvendo a compra de um imóvel.

Qual é a documentação necessária?

Para elaborar o contrato, o vendedor solicita alguns documentos do comprador. É necessário que o interessado em adquirir um imóvel apresente documento de identidade e CPF, além de comprovantes de estado civil, endereço e rendimentos.

No caso das pessoas com carteira assinada, essa comprovação pode ser feita com cópia da CTPS e dos últimos contracheques. Para aqueles que não são trabalhadores formais ou têm outras fontes de renda, os rendimentos podem ser comprovados por extratos bancários, recibo de pagamento de autônomo (RPA) e declaração de imposto de renda (IR).

Há uma renda mínima para realizar a aquisição?

Para quem opta pelo financiamento bancário, a comprovação do rendimento é fundamental para que a instituição faça a análise do crédito para liberar a operação. Não há uma renda mínima necessária, mas as parcelas são limitadas a 30% do rendimento mensal do comprador.

Portanto, se sua renda é de R$ 3 mil, o imóvel escolhido não pode ter uma parcela superior a R$ 900. Estude esse aspecto ao analisar suas opções de compra, para escolher um imóvel que seja condizente com sua capacidade de pagamento.

Quais são os gastos com a documentação?

O comprador precisa saber que existem gastos referentes à documentação de um imóvel. Essas despesas incluem registros no cartório e pagamento do ITBI (Imposto de Transmissão Bens Intervivos), correspondendo a cerca de 5% do preço do financiamento. Lembre-se de incluir esse valor ao planejar a aquisição.

Posso utilizar o FGTS para dar entrada no imóvel ou comprá-lo? 

A legislação brasileira prevê que os habitantes do país têm a chance de utilizar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para comprar um imóvel.  No entanto, essa aquisição está limitada aos projetos de até R$ 500 mil, localizados em área urbana.

Outra exigência é que a pessoa deve comprovar que trabalhou por, no mínimo, três anos para poder utilizar o benefício. Esse tempo de contribuição não precisa ser contínuo: ele pode ser um acumulativo de diversos períodos em que o indivíduo trabalhou sob o regime do Fundo de Garantia, desde que complete o período requerido.

O beneficiário não pode ser dono ou estar em fase de compra de um imóvel residencial, em construção ou finalizado, que seja financiado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Ele também não pode ser proprietário, ou estar em processo de compra, de uma casa no município em que mora ou trabalha.

Quais são os cuidados que devo ter para comprar o imóvel?

Faça uma pesquisa cuidadosa sobre a construtora responsável pelo imóvel que você deseja comprar. Consulte o portfólio dela em redes sociais para conhecer melhor o estado de conservação e a estrutura dos projetos feitos por ela. Aproveite para pesquisar eventuais reclamações contra a companhia.

Se tudo estiver certo, é necessário ter em mente que é preciso guardar um dinheiro extra para as despesas referentes à entrega do imóvel. Em casos de financiamentos feitos diretamente com a construtora, há um custo adicional para a retirada das chaves.

Texto: Gear Seo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *