Por que dizer não é fundamental para uma boa saúde financeira?

Vivemos em uma rotina tão acelerada que, muitas vezes, nos distanciamos de amigos e parentes.

E todo esse distanciamento nos traz um desafio que pode ser complicado de lidar, principalmente quando o assunto é dinheiro: como dizer não para algum conhecido que pede dinheiro emprestado ou outro favor que tenha relação com as finanças?

Elaboramos esse post que vai te mostrar por que é essencial dizer não para ter uma boa saúde financeira. Por mais que seja complicado, isso é necessário. Aproveite a leitura! 

Mas por que tenho que dizer não? 

Finanças sempre foi um tema extremamente delicado, seja do ponto de vista pessoal ou profissional. Afinal de contas, emprestar dinheiro ou o nome para outra pessoa, mesmo que seja um amigo mais próximo ou parente, pode acabar nos prejudicando bastante.

A questão é que não existem garantias do recebimento do dinheiro emprestado, ou seja, o risco de calote, por menor que seja, acaba existindo. Investir em um curso de PNL pode ser uma solução eficiente para ficar em paz com suas finanças. 

Por isso, cabe a você analisar se vale a pena ceder e praticar um gesto de empatia e gentileza, que é o de emprestar dinheiro. Mas lembre-se de que as chances de ter o seu nome incluso nos órgãos de proteção ao crédito como o SPC e Serasa, são grandes, além de ter um baita prejuízo com as finanças pessoais.

É conveniente salientar que a inflação também faz a nossa moeda se desvalorizar muito rápido, por isso, dizer não pode ser uma atitude inteligente. 

Mas se a situação for grave? 

Não estamos falando que você é obrigado a dizer não para todo mundo que lhe pedir dinheiro emprestado. A sua situação financeira só diz respeito a você próprio e cada um sabe das suas condições, certo?

Mas se você se deparar com uma situação grave ou urgente em que a pessoa não tem outra alternativa, deve emprestar, claro. Conheça os sábios ensinamentos do livro Quem Pensa Enriquece e tenha uma outra visão sobre o mundo dos negócios. 

Nesse caso, dizer não pode não ser uma atitude que pode demonstrar egoísmo da sua parte e pouca empatia com os problemas alheios. Tudo é questão de analisar a urgência ou a gravidade da situação, para tomar uma atitude mais assertiva e com menos chances de calote ou dores de cabeça futuras.

Lembre-se de que o risco de não receber a grana de volta sempre vai existir. Aí pinta aquele clima chato, principalmente se for um parente mais próximo. Aprenda a ter inteligência financeira.

Evite o “pague quando puder”

Existe uma grande diferença entre ter empatia e bancar o bobo. Se você cedeu e acabou emprestando dinheiro para alguém, evite cometer aquele velho deslize que muitos caloteiros adoram escutar, que é a frase “pague quando puder”.

Essa pode ser uma armadilha das grandes e que pode afetar em cheio a sua vida financeira. Jamais diga isso para alguém que acabou de emprestar dinheiro. Aprenda o que é empatia e não seja feito de bobo.

Pelo contrário, estipule uma data para o pagamento do montante. Além disso, deixe bem claro para o devedor todos os motivos pelos quais você está fazendo isso, já que se trata de uma urgência.

Caso contrário, toda vez que a situação financeira da pessoa na qual você emprestou dinheiro apertar, ela vai recorrer a você. E isso pode ser tornar um ciclo vicioso que pode ser bastante prejudicial. 

Você pode dizer não mas sem negar auxílio

Muita gente, por medo de ter um mal-estar emocional com algum parente ou amigo que pediu dinheiro emprestado, acaba cedendo.

Mas a bola da vez é: que tal oferecer um auxílio para que a pessoa tenha condições de resolver todos os seus problemas financeiros ao invés de emprestar dinheiro? Essa alternativa pode ser mais eficaz do que podemos imaginar.

Saiba um pouco mais sobre complexo de inferioridade.

Quer um bom exemplo? Ofereça uma ajuda para montar uma planilha das despesas mensais e procure identificar os motivos pelos quais essa pessoa vive pedindo dinheiro emprestado.

Além disso, você também pode dar dicas sobre economia, sugerir cortes supérfluos no orçamento e alternativas de renda extra, como algum trabalho eventual ou até a venda de um bem.

O fato é que você pode dizer não, mas sem necessariamente negar ajuda. 

Ofereça ajuda, mas sem comprometer a sua vida financeira

Seguindo a mesma linha de raciocínio acima, é possível ajudar, de diversas formas, um parente ou amigo que pediu dinheiro emprestado para você. A questão principal é não comprometer as suas finanças.

Muitas vezes, é preciso saber dizer não, mas sem ofender e sempre procurando uma solução que seja eficaz para resolver o problema alheio em questão. Não é fácil, sabemos disso, mas é totalmente possível. Tenha uma mentalidade financeira.

Mesmo depois que você oferecer alternativas ou outro tipo de auxílio, a pessoa ainda insistir querendo dinheiro emprestado, é melhor ser direto e não fazer rodeios.

Você deve deixar claro que imprevistos acontecem e, caso aconteça alguma coisa que a impeça de honrar com esse compromisso, aquela grana poderá fazer falta em seu orçamento mensal, já que você estava contando com ela para quitar suas próprias dívidas. 

De qualquer forma, procure chegar em um acordo que seja interessante para ambas as partes, mas que não comprometa suas finanças. O fato é que, muitas vezes, precisamos dizer não em prol de uma boa saúde financeira.

Mesmo que seja um ato de confiança com uma dose de empatia, emprestar dinheiro constantemente pode trazer consequências nada agradáveis para as suas finanças. Pode acreditar nisso! 

Venha para o IBND

Os cursos do IBND são ministrados por profissionais altamente capacitados e com larga experiência no mercado. Aqui, o nosso compromisso é a sua realização como ser humano. 

O IBND oferece soluções personalizadas que podem contribuir para o seu sucesso profissional e pessoal. Em nossa instituição, cobramos um preço justo e priorizamos o seu aprendizado. Esperamos você! 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *