Por que algumas pessoas sentem mais cólicas menstruais que outras

A cólica menstrual é uma dor pélvica, causada pela produção excessiva do hormônio prostaglandina, que gera contrações no útero para que o endométrio seja liberado por meio da menstruação.

Embora nem todas as mulheres sofram com essa dor durante o período menstrual, a grande maioria sente-a, sobretudo, aquelas que têm o fluxo intenso. Em alguns casos, a dor gerada pela cólica é tão intensa que interfere diretamente no cotidiano da mulher.

Causa da cólica menstrual

Apesar de as cólicas não terem uma causa específica, elas são muito associadas ao, já citado, aumento dos níveis de prostaglandina. A cólica pode ser do tipo primário ou secundário.

A primária é causada pelo aumento na produção de prostaglandina no endométrio, enquanto a secundária acontece em casos de alterações patológicas no aparelho reprodutivo, como tumores pélvicos, miomas, endometriose, estenose cervical, fibromas, etc.

Intensidade das cólicas menstruais

A dor causada pela cólica é bastante incômoda e pode acompanhar as mulheres desde os primeiros ciclos menstruais até a menopausa. Além disso, a intensidade varia muito conforme o organismo de cada mulher. 

Enquanto certas mulheres dizem sentir desconfortos mais brandos, outras sentem uma dor tão intensa que têm a necessidade de ficar na cama repousando. Para entender porque isso ocorre é necessário compreender o funcionamento do ciclo menstrual, que regula a intensidade das cólicas. 

Funcionamento do ciclo menstrual

Mensalmente, o endométrio torna-se espesso e mais vascularizado para preparar-se para uma futura gestação. Quando não há sinal de gravidez, o endométrio é descamado para ser suprimido por meio da menstruação e das substâncias químicas, chamadas de prostaglandinas, que são responsáveis pela realização desse processo. 

Elas proporcionam a contração uterina, que, por vezes, ocorre intensamente, podendo gerar o estreitamento da parede vascular dos vasos do endométrio. Consequentemente, há uma diminuição da circulação sanguínea na região, e a dor fica mais acentuada devido à cólica menstrual.

5 formas de aliviar a dor menstrual

Por meio do tratamento médico apropriado, é possível amenizar e, em alguns casos, até eliminar esse sintoma. Uma das principais medidas indicadas é o uso de medicação, como antiespasmódicos e pílulas anticoncepcionais, sempre com prescrição médica.

Ademais, anti-inflamatórios não esteroides, que reduzem a liberação das prostaglandinas, também podem ser usados. No dia a dia, existem algumas atitudes que, ao serem adotadas, ajudam a amenizar e prevenir as fortes dores da cólica menstrual. Entre elas, estão:

  • fugir de estresses desnecessários;
  • praticar atividades físicas regularmente;
  • beber dois litros de água, no mínimo, todos os dias,
  • evitar a ingestão de alimentos gordurosos.

Ainda há outras formas de aliviar as cólicas menstruais. Confira cinco delas, abaixo.

Analgésicos

Os analgésicos são fármacos que agem para reduzir a dor, porém o ginecologista deve ser consultado antes do uso. 

Bolsa de água morna

Colocar uma bolsa de água morna na barriga ajuda na dilatação dos vasos sanguíneos, relaxando os músculos abdominais, diminuindo a intensidade da cólica menstrual e proporcionando uma sensação de alívio.

Massagem

A massagem auxilia a melhora do fluxo sanguíneo na parte abdominal. Para fazê-la, utilize um pouco de óleo corporal no abdômen e faça movimentos circulares para aquecer a região, inclusive, ao redor do umbigo. Quando perceber que a área está bem aquecida, deite de barriga para baixo, pois, essa posição potencializa o efeito da massagem.

Chás

Calêndula, camomila e gengibre são tipos de chás que auxiliam na redução da ação inflamatória da prostaglandina e, assim, minimizam as cólicas menstruais.

Acupuntura 

Essa técnica é feita por profissionais. Utilizando pequenas agulhas, eles espetam pontos estratégicos que aumentam a liberação da endorfina e, consequentemente, reduzem as dores.

Texto: Gear Seo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *