4 Plugins WordPress que você precisa ter no seu site 

Talvez você já saiba, mas o WordPress é um dos CMS mais utilizados do mundo e com mais possibilidades, em função da quantidade de plugins disponíveis. 

Para uma dimensão mais exata, em média 41% da Web foi construída nesta plataforma.

CMS são sistemas de gerenciamento de conteúdo (Content Management System), isso significa que não é necessário ser programador para realizar funções básicas como editar textos e imagens. Isso explica como o WordPress se tornou tão popular ao longo dos anos.

Claro que para criar um site WordPress do zero sem conhecimento técnico será necessário bastante dedicação, mas não é impossível.

Antes dos CMS, customizar um site era bem complicado e caro, por isso não eram tantas empresas que podiam bancar uma presença digital.

Feito para ser um sistema livre e colaborativo, o WordPress é uma plataforma construída por diversas mãos. Hoje em dia, qualquer programador pode criar funcionalidades através de temas e plugins para atender às mais diferentes necessidades.

Precisa de um sistema de agendamento? Tem!

Procura um portal apenas para assinantes? Tem também!

Riscos dos plugins em WordPress

Atualmente existem mais de 50.000 Plugins disponíveis no mundo, o que nos traz uma gama de vantagens e também desvantagens, pois cada Plugin possui seu próprio código, o que pode gerar conflitos e impactar na performance do seu site caso haja desencontro de versões.

Por isso, é importante que o programador conheça bem o tema que está utilizando, assim como quais versões do PHP são compatíveis com as funcionalidades oferecidas.

Algumas das vantagens e desvantagens que citamos anteriormente:

  • #desvantagem: apenas um único plugin é capaz de quebrar partes do site. Isso acontece por incompatibilidade com o tema, com outros plugins ou com versões do PHP;
  • #vantagem:  qualquer programador pode criar plugins;
  • #desvantagem: se o profissional ou a empresa que criaram pararem de atualizar ou dar suporte você vai precisar de um plano B;
  • #vantagem: você pode ter uma gama de funcionalidades no seu site sem pagar nada por isso, já que a maioria dos plugins são gratuitos.
  • #desvantagem: quanto mais plugins mais pesado seu site irá ficar. 

Cuidados ao instalar plugins

  • Já sabemos que cada plugin possui seu próprio código. Por isso, é importante escolher plugins que foram desenvolvidos com boas práticas de programação.
  • Não instale diversos plugins de uma só vez. Em vez disso, instale um plugin e realize testes para verificar a performance e o funcionamento do site como um todo.
  • Procure plugins que já foram testados por especialistas ou que tenham boa avaliação.
  • Não seja um acumulador de plugins: se não está utilizando, delete.
  • Utilize a técnica da Marie Kondo no seu site WordPress: tenha apenas o que você realmente precisa.
  • Caso não conte com uma equipe técnica realize backups e verificações mensais de segurança. Assim você não correrá o risco de ficar desatualizado ou perder uma funcionalidade sem perceber.

4 Melhores Plugins Gratuitos do WordPress 

Criamos uma lista dos plugins que não podem faltar em nenhum site WordPress.

Bônus: testados e aprovados pela nossa equipe 😉

O que consideramos fundamental em um site:

  • Velocidade
  • Otimização SEO
  • Conversão
  • Durabilidade
  • Estética

Plugins WordPress para melhorar a velocidade do site e a performance SEO

Não é mais novidade para ninguém que o tempo de carregamento é crucial na competição pela atenção do consumidor.

A conta é matemática e simples: quanto mais rápida for a experiência de navegar pelo site, melhor.

A lentidão impacta diretamente na taxa de desistência, pois cada segundo conta e muito!

Na nova era, segundos são percebidos como minutos. Não acredita? Faz o teste! A percepção de tempo muda quando estamos olhando para uma tela. O mundo está cada vez mais rápido e as empresas precisam se adequar a este ritmo.

Por isso, plugins que melhoram a velocidade de um site wordpress são fundamentais.

1) Fastest Cache

O cache é uma espécie de memória dos dispositivos (desktop, tablet e mobile). Por isso, ao acessar um site nem sempre você estará visualizando sua versão mais recente, mas a memória que seu navegador armazenou.

Você já percebeu que quando acessamos um site pela primeira vez seu carregamento costuma ser lento? Isso pode ser explicado na prática.

Quando chegamos em um ambiente novo demoramos um pouco para absorver todos os estímulos sensoriais, certo? Nosso cérebro processa a cor da parede, o cheiro, o rosto das pessoas e todos os demais elementos até se acostumar.

Na navegação não é diferente. Ao acessar um site novo é necessário processar todos os elementos.

Imagina se todas as vezes que você fosse na padaria da esquina seu cérebro precisasse processar tudo como se fosse a primeira vez? Cansativo, certo?

É por isso que existe o cache!

Para que não seja necessário processar todos os elementos todas as vezes.

Quer fazer um teste?

  1. Acesse um site que você está acostumado e acompanhe seu tempo de carregamento.
  2. Limpe o cache do seu navegador
  3. Acesse novamente o mesmo site
  4. Perceba a diferença de carregamento

Nossa equipe já utilizou diversos plugins de cache e esse definitivamente é o nosso favorito!

Sua configuração é muito simples e a política de cache que proporciona é bastante eficiente e automatizada.

Dica: analise seu site no GTmetrix com e sem a ativação desse plugin e aproveite os resultados.

2 e 3) Allow WebP Image + Webp Converter for Media

No mundo digital imagens tem um peso decisivo quando o assunto é performance. Se você quer ter um site mais rápido e otimizado, apostar em imagens leves é o caminho correto.

Para resolver o problema do peso das imagens na Web, o Google criou uma maneira de converter imagens em um formato que pudesse ser lido e não carregado, como é hoje. Assim nasceu a extensão WebP.

Esse formato tem uma taxa absurda de compactação comparado às imagens JPG e PNG, o que deixa seu site muito à frente dos concorrentes no quesito SEO.

Dica: nunca suba imagens com mais de 2000px de largura e atura, ok?

O plugin Allow Webp envia para o servidor um pedido de permissão para converter essas imagens, já o Webp Conveter for Media faz a conversão final.

Atenção, pois essa conversão só funciona bem em servidores que trabalham com Apache.

Pode parecer complicado, mas basta entrar em contato com o suporte e perguntar se a extensão WebP é compatível.

4) Yoast SEO

Esse plugin é fundamental para uma boa performance nos mecanismos de buscas, simplesmente porque ele analisa em tempo real a legibilidade e SEO da sua página ou post enquanto está sendo desenvolvida. 

Com certeza você já deve ter lido algumas regras e orientações para trabalhar o SEO On Page, certo? A palavra On Page pode confundir, mas isso nada mais é do que as técnicas SEO aplicadas no conteúdo da página. 

Se você ainda não está muito familiarizado com essas regras, vou te dar alguns exemplos:

  • Títulos com 55 caracteres em média
  • Acima de 1000 palavras por texto
  • Criar links internos e externos
  • Trabalhar a densidade da palavra-chave de forma adequada utilizando variações 
  • Distribuição de subtítulos

Parece difícil seguir essas orientações, não é mesmo?

Acredite, nós já realizamos consultoria com diversas empresas e sabemos que no começo pode parecer robótico ter que prestar atenção em tanto detalhe. Porém, aprender a criar conteúdo otimizados para SEO é como aprender a dirigir. No começo parece difícil, mas com o tempo fica natural. 

Foco na palavra natural, pois essa é uma outra regra bastante importante:

Lembre-se sempre que uma pessoa irá interagir com seu conteúdo, por isso, nada de parecer um robô para conseguir cumprir as regras.

No final das contas, o principal objetivo do Google é a experiência do usuário. Desse modo, com o tempo você perceberá que essas regras existem para enriquecer o conteúdo e aumentar a capacidade de interação com ele. 

Legibilidade e SEO na prática

O Yoast SEO basicamente tem a função de escanear o conteúdo em tempo real para apontar o que está bom e o que deve ser melhorado. 

Genial, não?

Como se não bastasse, o plugin faz isso de forma super visual e amigável para que você não tenha desculpas.

Exemplo:

Conclusão

Neste post você descobriu:

  • Por que o WordPress é tão popular
  • Como utilizar plugins para melhorar a velocidade e tempo de carregamento do site
  • Como criar conteúdo com ótima performance de legibilidade e SEO

Também aprendeu que:

Não deve

  • Acumular plugins
  • Instalar diversos plugins de uma vez

Deve

  • Testar o site após a instalação de um plugin
  • Dar preferência para plugins testados e aprovados por equipes técnicas
  • Realizar backup de segurança
  • Verificar o site mensalmente para garantir que está tudo funcionando (principalmente os formulários)

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Gerador de Ideias, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre o universo digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *