Quais as vantagens da rede Ethereum? As 3 que mais se destacam!

Pessoas que trabalham com tecnologia blockchain devem estar sempre atentas sobre quais são as melhores opções do mercado. Se você se encaixa nesse grupo, precisa saber o quanto antes as principais vantagens da rede Ethereum.

Utilizada para o desenvolvimento de aplicativos descentralizados e para a criação de contratos inteligentes, a plataforma Ethereum também é a “casa” da criptomoeda Ether (ETH), classificada atualmente como o segundo maior ativo digital do mundo, atrás apenas do pioneiro Bitcoin.

Um spoiler que podemos dar sobre as vantagens da rede Ethereum é que ela é totalmente protegida da intervenção de terceiros. Isso quer dizer que tudo o que é criado nessa plataforma não pode ser controlado por nenhuma pessoa, exceto aquela que desenvolveu.

E o que mais de tão vantajoso essa rede tem a oferecer? Continue com a leitura e descubra!

O que é a rede Ethereum?

Para falarmos sobre as vantagens da rede Ethereum é importante, primeiro, explicarmos o que ela é e como funciona, concorda? Então, vamos lá!

A rede Ethereum é uma plataforma blockchain, que consiste em uma cadeia de blocos em que cada um deles armazena um conjunto de informações. A cada 10 minutos, novos blocos são criados e conectados aos anteriores, formando então uma rede. 

Criada pelo programador russo-canadense Vitalik Buterin, em 2013, a rede Ethereum foi lançada em 2015, e serve para a criação de aplicativos descentralizados e contratos inteligentes.

A rede também deu origem à criptomoeda Ether (ETH). Por conta disso, a Ethereum também opera como campo de mineração e de negociação desse ativo digital.

Como essa rede pode ser usada? 

Assim como mencionamos, a rede Ethereum pode ser usada para três principais aplicações, que são:

  • Criação de contratos inteligentes;
  • Desenvolvimento de aplicativos descentralizados;
  • Fazer a mineração de Ether;
  • Entre outros.

Continue a leitura e entendo todos os pontos em detalhes:

Criação de contratos inteligentes

Os contratos inteligentes, ou Smart Contracts, são um acordo firmado entre duas ou mais partes que pode se autoexecutar. Ou seja, é uma negociação que independe da intermediação de terceiros.

A rede Ethereum viabiliza a criação de contratos inteligentes mais completos, especialmente devido à liberdade de programação que a plataforma oferece. 

Com a definição de funções automáticas dentro desse sistema que permitem, por exemplo, a análise de interações obrigatórias, é possível criar Smart Contracts para os mais variados segmentos.

Um bom exemplo de contratos desse tipo é: imagine que você quer enviar um Ether para uma pessoa com a qual está dividindo as despesas de uma viagem que farão. 

No entanto, não quer que o ativo saia da sua carteira agora, preferindo fazer isso somente na data em que a fatura do cartão de crédito da outra pessoa vencer. Ao programar esse contrato pela rede Ethereum, o pagamento será feito automaticamente no dia que escolher!

Desenvolvimento de aplicativos descentralizados

Aplicativos descentralizados, ou DApps, sigla para Decentralized Applications, são soluções (softwares) que têm como base de desenvolvimento a tecnologia blockchain.

Com código aberto, esses aplicativos costumam dar recompensas às pessoas que os utilizam, de acordo com a sua contribuição para aprimoramento da ferramenta.

Os aplicativos descentralizados podem ser criados para as mais diferentes áreas, tais como jogos virtuais e entretenimento, redes sociais, financiamento coletivo, serviços de empréstimo, entre outros. 

Fazer a mineração de Ether

Muitas pessoas confundem a rede Ethereum com a criptomoeda Ether, tanto que o nome da plataforma acaba sendo aceito para identificar esse ativo digital. Porém, se você quiser se tornar expert no assunto, é essencial saber que elas são diferentes.

Como dissemos, a rede Ethereum é uma plataforma blockchain utilizada para diferentes funcionalidades. Já Ether é a moeda virtual originária dela. Inicialmente, a cripto foi usada pela equipe de Buterin como meio de financiamento do projeto, negociada em uma venda coletiva.

Ela e o Gas, outro recurso nativo da Ethereum, são usados como forma de recompensa para os mineradores da rede. A Ether também funciona como ativo para o pagamento de taxas de transação para processamento de alterações nos aplicativos que usam a tecnologia da solução. 

Quais as vantagens da rede Ethereum? 

Ufa! Quantas informações até aqui, não é mesmo? Mas tudo isso foi necessário para chegarmos ao ponto alto desta conversa, que é relacionar as vantagens da rede Ethereum. Sobre isso, as três que mais se destacam são:

  • Descentralização;
  • Segurança;
  • Programabilidade.

Entenda mais sobre cada ponto:

Descentralização

A rede Ethereum é descentralizada, pois não depende de uma única entidade controladora para funcionar. Assim como acontece com outras plataformas blockchain, essa funciona no modelo P2P, peer-to-peer — em tradução livre, de ponto a ponto.

Desse modo, suas operações são validadas pela própria comunidade, e não por uma organização ou indivíduo específico.

Segurança

Dados e informações tramitados e armazenados em redes blockchain não permitem qualquer tipo de alteração por terceiros. No caso de transações realizadas, nem os seus criadores têm o poder de modificar ou apagar o que tem neles. 

Essa característica confere muito mais segurança, credibilidade e privacidade para tudo o que é criado na plataforma.

Programabilidade

E fechamos a nossa lista de vantagens da rede Ethereum com o fato de ela ser altamente programável. O que isso quer dizer? Quer dizer que ela dá total liberdade para criar diferentes programas e soluções dentro do mundo digital — o céu é o limite!

Alguns exemplos são o desenvolvimento de diferentes aplicativos, como os voltados para os serviços financeiros, além de votações, campanhas de crowdfunding, entre outros.

Quais são as principais diferenças entre Ethereum e Bitcoin?

Para citarmos as principais diferenças entre a plataforma Ethereum e a rede Bitcoin é preciso, antes, deixar claro que a primeira foi criada com base na segunda. Por isso, elas contam com algumas semelhanças.

As três principais são que ambas têm código aberto, são controladas por suas respectivas comunidades e remuneram os seus mineradores com as suas próprias criptomoedas.

Porém, os pontos em comum param por aí. O motivo é que Ethereum e Bitcoin são projetos com finalidades totalmente diferentes.

A rede Ethereum foi criada com o objetivo de ser uma plataforma multiuso. A sua moeda digital, na verdade, é somente uma das suas ofertas. O Bitcoin, por sua vez, segue o caminho contrário.

E no que se refere às suas criptos, o Ether tem potencial de fornecimento infinito, enquanto o whitepaper do Bitcoin define o limite de 21 milhões de ativos digitais.

Qual dessas duas redes é a mais promissora?  

As vantagens da rede Ethereum ficaram claras, mas será que esses benefícios a colocam na frente da sua “rival” Bitcoin?

Se considerarmos o número de criptomoedas que podem ser geradas por cada uma delas, a tendência é acreditar que a rede Ethereum e seu Ether têm mais potencial de crescimento. Entretanto, seria preciso avaliar também a valorização, demanda e oferta de cada uma.

No que se refere às soluções oferecidas como plataforma blockchain, ambas contam funcionalidades e recursos interessantes que possibilitam o uso em diferentes tipos de mercado. Além de, constantemente, estarem passando por atualizações.

Portanto, é bastante complicado “bater o martelo” sobre qual rede é mais promissora. Nossa dica final é para que você acompanhe a evolução das duas e analise os pontos positivos e negativos antes de tomar a sua decisão.  

Este artigo foi escrito pela Bitso, exchange internacional de criptomoedas na qual você pode comprar, guardar e vender os seus criptoativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *