Taxa de abertura de email e outras métricas que você deve acompanhar

O e-mail marketing é uma importante ferramenta de comunicação, que até hoje se perpetua na atividade das empresas. No entanto, acompanhar métricas como a taxa de abertura de e-mail e saber quando usá-las é imprescindível para ser estratégico.

Inclusive, é importante ressaltar que se não for bem planejada, elaborada e conduzida, uma ação que utilize e-mail marketing provavelmente não trará bons resultados.

Por isso, preparamos importantes informações sobre como analisar diferentes métricas para entender se você está indo no caminho certo. Quer conferir? Então olhe só:

Taxa de abertura de e-mail e a importância das métricas

E-mail marketing é um tipo de abordagem mais direta dos clientes, geralmente enviado a uma base de leads cadastrados.

No entanto, se ele não for relevante para essas pessoas, é provável que se torne um investimento sem retorno. Além disso, com a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), o lead tem ainda mais autonomia para desistir dessa comunicação.

As métricas de e-mail marketing servem justamente para tentar entender esse comportamento e a aceitação do público. Sem elas, fica difícil compreender se as pessoas estão gostando do que recebem e se isso está ajudando na jornada do consumidor. 

A taxa de abertura de e-mail é um bom sinal, se não o mais relevante, para a empresa saber que seus conteúdos impactam. Mas outros indicadores também contribuem para o entendimento como um todo da estratégia.

Conheça métricas para ficar de olho

Pensando em ter parâmetros para compreender a performance do e-mail marketing, existem métricas que trazem importantes insights para o trabalho com esse recurso. Veja a seguir as principais delas!

1 – Taxa de entrega

A taxa de entrega é o primeiro indicador de sucesso do e-mail marketing. Ela se refere à porcentagem de e-mails que efetivamente foram entregues, chegaram às caixas de entrada dos usuários cadastrados.

Essa taxa deve estar preferencialmente acima de 95%, e melhor ainda se beirar os 100%, principalmente para que seja considerada boa. 

Eventuais problemas na entrega advém de endereços de e-mails desatualizados, errados ou problemas com spam. Inclusive, quando um e-mail não chega, a empresa que enviou recebe uma notificação.

Por isso, é bastante importante ter a base atualizada e garantir que aqueles e-mails estejam corretos. Caso contrário, o trabalho é feito, mas não tem para quem entregar.

2 – Taxa de abertura de e-mail marketing

Em seguida, outro indicador de impacto é a taxa de abertura de e-mail. Isso porque, se o seu e-mail não chamar atenção, o lead irá ignorá-lo.

 

Então não adianta ter recebido, porque ele não consumiu a mensagem. Não teve contato com as ofertas, nem teve desejo de adquirir. Por isso, as melhores técnicas de e-mail marketing precisam ser aplicadas para gerar maior atenção e depois qualificação.

Uma boa dica é evitar o envio de muitos e-mails marketing, um na sequência do outro. Assim, evitar assuntos longos e gerar conteúdos úteis ajudam a minimizar as chances de o usuário deixar de abri-lo. 

Uma boa taxa de abertura depende da base de leads, por isso varia. Mas em geral, entre 10% e 20% já começa a ser considerada um resultado animador.

3 – CTR

O CTR é a taxa de cliques dos e-mails. Mas como assim? Ela é diferente da abertura, porque indica geralmente os cliques em um anúncio ou link do e-mail.

Em outras palavras, ele se relaciona à CTA, ou chamadas para ação. Então, é importante investir em copywriting, que são técnicas de escrita persuasiva, que ajudam a evidenciar o valor do produto ou solução e instiga o leitor a saber mais.

Ainda que pareça pouco, um CTR de 3 a 5% já é um bom sinal. Isso porque a maioria dos clientes até se interessam por determinados produtos, mas deixam para clicar e ver depois. 

Nesse processo, infelizmente muitos leads se perdem. Então se houver algum sinal positivo na CTR já é muito importante e, claro, quanto maior ela for, melhor.

4 – Bounce rate

Essa taxa se refere à chamada “taxa de rejeição”. No caso do e-mail marketing, ela pode estar ligada à quantidade de e-mails que não puderam ser entregues ou aos e- mails que os clientes rejeitaram, enviando para a lixeira.

Quanto maior, pior indicador é para a estratégia. Mesmo que não se interessem na hora, quando um e-mail é minimamente atraente, o lead pode se sentir impelido a mantê-lo, para visualizar depois.

5 – Taxa de conversão

A taxa de conversão é medida a partir da quantidade de pessoas que concluíram uma ação a partir do recebimento do e-mail. Divide-se esse número pelo total de pessoas que receberam.

Assim, o resultado mostra quantos leads de fato foram convertidos a cliente a partir dele, por exemplo.

6 – Taxa de encaminhamento de e-mail

Muito interessante para a estratégia, essa taxa mostra quantas vezes o cliente encaminhou aquele e-mail.

Além de abrir horizontes para que a empresa seja conhecida por mais pessoas, via indicação, isso mostra que o cliente se interessou pelo assunto. Tanto viu relevância que decidiu compartilhar, o que mostra o potencial da solução atingir um público maior.

7 – CTOR

Essa é a chamada taxa de cliques por abertura. É diferente do CTR, pois esse primeiro apenas mede quantos usuários clicaram em um link.

Já o CTOR faz uma relação entre a quantidade que clicou em um link interno em comparação com a quantidade que abriu o e-mail.Isso oferece pistas ainda mais concretas sobre a relevância do conteúdo.

8 – Taxa de descadastro

A taxa de descadastro é um mau sinal. Ainda mais agora que o usuário tem mais facilidade para solicitar deixar de receber os e-mails, caso isso aconteça com muita frequência, é sinal até de que sua comunicação está sendo inconveniente.

9 – Crescimento da lista

A taxa de crescimento da lista é um indicador de quanto a base de leads pode ter crescido de um período para outro. É obtida a partir do percentual de e-mails novos disparados em relação ao total.

10 – ROI geral

O ROI geral de campanhas de e-mail marketing serve para nortear as ações como um todo. Geralmente se obtém esse índice somando o valor total da receita obtida por meio das estratégias, menos o montante gasto na execução. 

Dicas para otimizar seus emails

Para otimizar a taxa de abertura de e-mail e a estratégia em geral, alguns conselhos são muito úteis, como:

  • Usar conteúdo dinâmico;
  • Apostar na IA;
  • Trabalhar com campanhas automatizadas;
  • Entre outras frentes.

Para facilitar o entendimento, explicamos de forma mais detalhada cada uma das dicas. Confira a seguir!

Aposte em conteúdo dinâmico

Para chamar mais atenção do seu público, invista em conteúdo dinâmico em seus e-mails. Isso significa incluir gifs ou até vídeos, para tornar mais interativo e chamativo.

Use IA

Inteligência artificial, IA (ou AI, em inglês) é fundamental para ajudar a analisar e identificar insights no comportamento do usuário. Algoritmos de inteligência artificial podem aprender e tomar decisões relativas ao disparo dos e-mails, caso você trabalhe com um recurso assim.

Trabalhe com campanhas automatizadas

Para isso, claro, você precisará automatizar suas campanhas, utilizando alguma ferramenta que agregue essa inteligência.

Mas além disso, isso traz agilidade, maior facilidade para mensuração de resultados e permite que você foque no que é estratégico, pois todas as tarefas repetitivas e “operacionais” demais serão executadas automaticamente.

Conseguiu entender como além da taxa de abertura de e-mail, outras métricas influenciam sua estratégia? Sente que não tem como se dedicar totalmente a essa análise ou precisa de know-how agregado para executar esse acompanhamento?

Lembre-se de que muitas vezes a melhor solução é contratar uma empresa especializada para garantir resultados maiores! Se precisar, fale com a Alaska! Somos especialistas e podemos te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *