Gestão financeira na advocacia: como organizar?

Escritórios de advocacia costumam ter dificuldade em organizar suas finanças, pois, muitas vezes, os advogados não têm esse conhecimento. Mas a gestão financeira na advocacia é fundamental para uma gestão eficiente.

O que é gestão financeira?

Gestão financeira são todos os métodos e técnicas utilizados para tornar um negócio financeiramente sustentável. Com informações das finanças da empresa, gestores podem adotar estratégias mais embasadas e seguras.

Por exemplo: suponha que seu escritório tem capacidade para absorver mais clientes, mas a aquisição de novos computadores está atrasada. Você apostaria na prospecção de clientes ou melhoraria a infraestrutura?

Em todo escritório, decisões como essa precisam ser tomadas em algum momento. E é por isso que o controle financeiro na advocacia é tão importante.

Para que serve?

Além de apoiar as tomadas de decisão, a gestão financeira em escritórios de advocacia serve para assegurar estratégias já definidas, como o crescimento, a modernização e o aumento de produtividade.

Isso porque, para alcançar os objetivos do escritório, as finanças devem acompanhar as necessidades de investimento, e nem sempre tudo acontece como previsto.

A gestão das finanças também prepara os escritórios para momentos de crise. Se, por exemplo, um escritório perde seu cliente que mais gerava receita, quais os melhores planos de ação para ele? Nesse caso, ter uma estrutura detalhada de receitas e gastos pode ser o motivo de uma decisão acertada. Do filtro de café aos honorários dos advogados, cada movimentação de caixa conta para um bom controle financeiro na advocacia.

Além disso, o controle de caixa é utilizado para manter a transparência sobre taxas e impostos devidos. Sem isso, o escritório pode sofrer punições do Estado ou da OAB.

Como fazer uma boa gestão financeira na advocacia?

Agora que você já sabe por que deve fazer a gestão financeira do seu escritório de advocacia, conheça as nossas melhores dicas para ter um controle financeiro bem feito.

Separe o dinheiro do escritório de seus gastos pessoais

É comum que, em pequenos escritórios (muitas vezes familiares), o dinheiro do negócio se misture ao particular. Mas as duas coisas não devem se misturar em hipótese alguma.

Esse mau hábito pode significar a perda total do controle financeiro, já que deturpa a visão sobre o lucro, a situação do negócio, os resultados dos investimentos e outras variáveis.

Uma boa prática é estabelecer um pró-labore para o(s) sócio(s). Assim você garante que as contas da sociedade de advogados e as contas dos sócios serão tratadas separadamente.

Controle seu fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o movimento de entradas e saídas de dinheiro do caixa. Atrelado ao planejamento financeiro, formam uma ótima ferramenta de controle financeiro.

Isso porque se você avaliar apenas os bons resultados de novos contratos, sem considerar os gastos previstos, pode ter uma visão errada sobre a situação do escritório.

Para que isso não aconteça, é importante ter bem definidos os custos fixos (como o aluguel) e variáveis (como as contas de energia e os percursos de táxi). Também devem ser mapeadas as despesas (como salários e ações de marketing), os impostos e as receitas.

Com isso, especificando todos os lançamentos (passados e futuros), é possível entender o real cenário da saúde financeira do escritório. Assim, poderá definir novas ações, investimentos e objetivos para o negócio.

Uma boa maneira de fazer essa gestão financeira do escritório de advocacia é utilizando um software, a fim de aprimorar e automatizar o controle das finanças.

Prepare-se para imprevistos

É possível que imprevistos aconteçam. Um exemplo recente é o Coronavírus, que mudou o formato de trabalho em diversos setores. Algumas empresas até declararam que o trabalho será permanentemente remoto.

No Judiciário, por exemplo, muitos órgãos passaram a trabalhar à distância. Os processos físicos têm sido digitalizados e as audiências e sessões de julgamento têm sido online.

São vários os impactos de adversidades como essa, que é mais uma situação em que o controle financeiro na advocacia se mostra relevante. Escritórios que se planejaram e controlaram suas finanças, provavelmente, estavam mais preparados para as consequências da pandemia.

Para que o escritório esteja preparado para imprevistos, deve ter uma reserva (ou capital de giro), utilizada para suprir os gastos em casos excepcionais em que, por exemplo, não há receita alguma.

Por onde devo começar?

É claro que os contextos variam de escritório para escritório. Uma planilha pode não atender a tudo que você precisa e um software pode ser um investimento desnecessário no momento.

Cabe a você observar o cenário, entender as necessidades do escritório e escolher a ferramenta que resolve a sua gestão das finanças. O importante é que você tenha esse controle.

Sabemos que a gestão financeira na advocacia pode ser complexa. Por isso, preparamos uma planilha para que você planeje e controle as finanças de seu escritório. Acesse a planilha aqui!

Quer receber mais conteúdo do universo jurídico? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *