O que é a Gestão Comportamental e como aplicá-la na minha empresa?

A gestão comportamental é a gestão de pessoas por meio do comportamento. 

Entender exatamente o que é gestão comportamental e como aplicá-la, significa gerir de forma mais estratégica e inteligente os colaboradores, tendo as tomadas de decisão baseadas no perfil comportamental

Um dos principais valores de uma empresa é o capital humano, e muitas instituições têm tomado consciência disso, procurando investir cada vez mais para o desenvolvimento e gestão das pessoas que fazem parte da empresa. 

Com o aumento no foco do desenvolvimento do capital humano, o RH se tornou um dos setores mais valioso da empresa, sendo ele, o responsável pelo sucesso. 

Com o RH, é possível aplicar a gestão comportamental, definindo melhor os cargos e possibilitando assim, um processo seletivo mais eficaz. 

Mas o processo seletivo e a definição de cargos estratégicos não são os únicos benefícios que a gestão comportamental proporciona, temos diversos outros. 

Quer saber mais? Abaixo explicaremos mais benefícios da gestão comportamental e como aplicá-la na sua empresa. Boa leitura!

Quais os benefícios da gestão comportamental?

O ponto principal é compreender por que é tão importante o uso dessa gestão dentro da estratégia do negócio. 

Sendo assim, é preciso entender quais os benefícios e como impacta dentro de uma organização. Por isso, explicaremos abaixo uns dos principais pontos: 

Alinhamento com a cultura organizacional 

A gestão de pessoas têm que estar ligada, diretamente, com os valores da empresa, pois é a partir desses valores, que durante o processo seletivo, o fit cultural fará a diferença para contratar a pessoa que está adequada aos mesmos pontos.

Ou seja, a cultura organizacional se torna mais forte quando está ligada ao comportamento dos colaboradores, tornando-os mais engajados com a organização. 

Com a gestão comportamental alinhada com a cultura da empresa, os colaboradores se sentirão mais motivados e satisfeitos, dessa forma, a produtividade aumentará. 

Por meio dessa gestão, é possível ter em detalhes o perfil de cada colaborador e a forma como impacta na cultura. 

Com ela, existe a possibilidade de identificar talentos que estão mais adequados aos valores da organização e que podem promover a cultura ou ter uma oportunidade maior de crescimento. 

Melhoria do clima organizacional

É muito importante entender as diferenças entre cultura e clima organizacional. 

Assim como a cultura permite o alinhamento do comportamento dos colaboradores com os valores da organização, o clima se baseia em como os colaboradores estão se sentindo em relação a esses valores. 

Um dos fatores mais influentes no clima organizacional são as relações interpessoais, pois ajudam a construi-lá. 

Por meio da gestão comportamental, a análise das principais características dos colaboradores é feita e, com isso, o RH terá acesso ao que pode ser melhorado ou desenvolvido. 

Dessa forma, os colaboradores passam a trabalhar em conjunto para buscar soluções para a melhoria do clima organizacional, tornando o ambiente de trabalho mais harmônico. 

Otimização do recrutamento e seleção, além da redução da rotatividade

De acordo com a Page Personnel, 9 em cada 10 colaboradores são contratados pelo currículo e demitidos pelo comportamento. Contratar somente pelas qualidades técnicas é um dos grandes erros do RH. 

É preciso compreender o comportamento do candidato para identificar se seus valores são compatíveis com os da empresa e se essa pessoa têm as características comportamentais aptas ao cargo. 

Sem uma análise do comportamento do colaborador, há uma grande chance dele não permanecer, sendo assim, a rotatividade aumenta. 

Identificando os perfis comportamentais de cada colaborador, é possível fazer um mapeamento das competências necessárias de cada cargo e aplicar essas estratégia dentro do recrutamento e seleção, selecionando aquele candidato que têm as competências adequadas a cada cargo. 

Com isso, o candidato selecionado se irá se adequar mais a vaga, mesmo que seus testes técnicos não tenham sido o melhor, o fit cultural pode ser um dos motivos que o faça procurar se desenvolver e permanecer por mais tempo.

Redução de custos

Esse é um dos fatores que mais chamam atenção, seja dos Recursos Humanos, que procuram mostrar resultados para seus diretores, seja da Diretoria que se preocupa com os dados e procuram ser precisos com seus gastos. 

Sabemos que os processos de recrutamento e seleção, treinamentos e rescisões custam muito. É preciso pensar nos custos de tempo e investimento de todos que estão envolvidos. 

Existem sistemas, como a calculadora de rotatividade, que pode auxiliar RH’s a calcularem todos os gastos que envolvem a demissão de um número específico de funcionários. 

Com a gestão comportamental, o RH e os gestores, terão eficácia ao contratar, pois sabem exatamente qual o perfil necessário para a vaga que estão contratando, com isso os números da rotatividade reduzirão. 

Além de contratar com eficácia, poderá desenvolver o colaborador, de forma que os gestores entendam como desenvolver suas competências para que ele se sinta valorizado e bem aproveitado. 

Com isso, os treinamentos são mais eficazes e os custos para o desenvolvimento de cada colaborador são menores.  

Como aplicar a gestão comportamental na minha empresa? 

Como podemos ver, a gestão comportamental proporciona muitos benefícios. O próximo passo é entender como aplicar na sua empresa e, por isso, indicaremos alguns passos que o RH deve ser seguir: 

Mapeie o perfil comportamental dos seus colaboradores 

Antes de tudo, o RH precisa visualizar o cenário atual da empresa. Ou seja, ele deve aplicar o teste de perfil comportamental em todos os colaboradores. 

Com isso, o RH identificará o perfil predominante da sua empresa, sendo ele, comunicador, executor, planejador ou analista

E por que isso é tão importante? Pois auxiliará no reconhecimento das características predominantes que formam a cultura da empresa. O RH terá em mãos uma soma de dados, rica e valiosa sobre cada colaborador da empresa. 

Alinhe o perfil desejado de cada vaga 

Após analisar o perfil de todos os colaboradores, o RH saberá quais são os perfis que mais se adequam às vagas, como aqueles de alta performance. 

A partir disso, ao realizar um processo seletivo, terá em mãos o alinhamento de quais são as competências necessárias que o candidato deve ter para ser um colaborador de alta performance. 

Lembrando que o RH não deve pensar somente nas competências que se adequaram a vaga, mas também a toda a empresa e ao time em que o candidato será inserido. 

Pensando desde o início do processo, qual a combinação de perfis que gerará melhores resultados.  

Treine e desenvolva 

O terceiro passo de implementação envolve o treinamento e desenvolvimento de líderes e colaboradores. 

Não é suficiente somente contratar a pessoa certa para a vaga certa. Se não treiná-la, ela não se desenvolverá e se sentirá como somente um número para a empresa. 

O objetivo da gestão comportamental é exatamente o contrário, é priorizar e desenvolver o capital humano, o principal valor da empresa. 

Treine os líderes e os capacite em relação a como desenvolver cada perfil. 

O objetivo é que os gestores possam compreender quais as competências que podem tornar cada pessoa de sua equipe cada vez mais competente, sempre entendendo como ela pode se desenvolver ou como ela está se adequando a vaga e ao ambiente de trabalho.

Esses são alguns pontos sobre que é gestão comportamental e como aplicá-la, esse é o primeiro passo para a implementação.

Muitas empresas optam por sistemas que possam otimizar esses processos e auxiliar o RH e os gestores. 

Este conteúdo foi desenvolvido originalmente por Renata Araújo, analista de marketing da Sólides, empresa que oferece plataforma completa de Gestão de Talentos com People Analytics e Gestão Comportamental. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *