Gestação e estilo: como aproveitar as peças que você já tem e priorizar o conforto

A gravidez é a experiência que mais altera o corpo e o funcionamento do organismo das mulheres. Nesse período, elas sofrem um aumento de 60% do volume sanguíneo, o que as fazem reter mais líquidos e ficarem mais inchadas.

A produção de hormônios, como o hCG, a prolactina e a progesterona, o inchaço nas pernas e o aumento do volume dos seios, além da barriga, são apenas alguns exemplos dessa transformação.

Essa mudança traz a necessidade de vestir roupas confortáveis, que não comprimam nenhuma parte do corpo, como as calcinhas sem costura. Muitas mulheres renovam o guarda-roupa nessa época, mas é possível reaproveitar algumas peças antigas.

Por isso, se você está grávida ou planeja engravidar, veja o que pode fazer para reaproveitar algumas roupas e viver a gestação com conforto, enquanto mantém o estilo!

Tecidos apropriados

O primeiro passo para aliar conforto e estilo nas roupas é priorizar tecidos feitos à base de elastano, que tem uma ótima elasticidade e é capaz de acompanhar o crescimento gradual, tanto da barriga, quanto dos seios.

Algumas peças ótimas para ter no armário são os vestidos, que dão espaço para a barriga, podendo ter diversos tamanhos, modelos e estampas. Além dele, quimonos, batas, saias, pantalonas, blusas de malha e leggings são boas indicações, já que elas garantem conforto e podem continuar sendo usadas após a gravidez.

Ajustes no início

No começo da gravidez, é possível usar peças, como vestidos tubinhos, sendo preciso realizar apenas alguns pequenos ajustes, como substituir zíperes por elásticos e alargar roupas que marcam a cintura.

Contudo, há algumas roupas e calçados que não são tão recomendados para grávidas, como calças jeans, cintos e sandálias com tiras. Também é preciso ter cuidado com blusas mais justas.

Lingerie

A lingerie é uma vestimenta essencial para a saúde ginecológica da mulher. Isso é ainda mais evidente durante a gestação. A regra de ouro é que elas não devem deixar a região íntima abafada nem úmida.

Por isso, é importante dar preferência para roupas íntimas feitas de algodão, já que esse tecido permite a transpiração da região pélvica, evitando corrimentos, infecção de urina e irritação da pele. Calcinhas sem costura e sutiãs com alças mais largas, sem bojo, nem aros metálicos, também são sugestões adequadas.

Terceira peça

Este item é conhecido como “o queridinho das grávidas” e se refere às peças que dão charme ou até sofisticação para os looks mais básicos. Alguns exemplos que estão em alta hoje são os coletes, os cardigãs e os quimonos. 

Além de terem um ótimo caimento e poderem ser utilizadas após a gravidez, essas peças dão personalidade para o visual. Enquanto os quimonos têm mangas mais largas e uma inspiração oriental, o que pode trazer estampas floridas e mais claras, o colete é um detalhe que muda totalmente a composição. 

Já os cardigãs costumam deixar o look mais despojado e devem ser usados mais abertos, sobretudo, no final da gestação. Qualquer que seja a sua escolha, essas peças são versáteis e ajudam a manter o equilíbrio térmico, já que protegem de ventos frios, sem esquentar demais. Por isso, elas funcionam como um verdadeiro coringa no armário!

Após a gravidez, algumas das combinações mais clássicas para a terceira peça são as calças skinny (que são mais justas, por isso, criam um equilíbrio para roupas mais folgadas), vestidos (que deixam o look mais versátil, principalmente, quando há diferenças no comprimento das peças) e saia longa (que vai muito bem com os quimonos).

Texto: Gear Seo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *