Entenda como o PIX ajuda as empresas

O Pix é um sucesso entre os brasileiros. Seja com pessoas físicas ou jurídicas, a nova funcionalidade do Banco Central é unanimidade.

Entre os empreendedores brasileiros, o número cresce dia após dia. Mas qual seria o motivo? O texto de hoje vai fazer você entender como o Pix ajuda as empresas. 

A fintech Stone relatou que isso é uma verdade por meio de um estudo feito em dezembro com 1.360 lojistas de todas as regiões brasileiras.

A representação foi de 26,3% do varejo, 20% do setor de alimentação, 7,6% do comércio de roupas e acessórios, 7,7% de serviços de saúde, 12,8% do ramo de papelaria e 25,6% de outros segmentos.

A pesquisa mostrou que a funcionalidade já é bem conhecida pelos próprios lojistas (80% afirmaram saber o que era) e que 58,6% dos lojistas já se adaptaram para receber e/ou realizar pagamentos pelo novo modelo. 

O número é uma grande surpresa, visto que no levantamento feito em novembro, antes do lançamento do serviço, 77% dos empreendedores declararam que não estavam ou não sabiam se estavam prontos, e 64% nem sequer sabiam o que era Pix. É uma das tendências de 2021, com toda a certeza. 

As próprias empresas de tecnologia financeira tem operado em forma de ajudar os lojistas a implementar o Pix em seus estabelecimentos.

O objetivo é tornar o método tão conhecido como os outros já utilizados pelos comerciantes, assim eles seguirão se familiarizando com o novo cenário.

Mas ainda existem dúvidas dos lojistas quanto aos custos e taxas, à segurança e à usabilidade e funcionalidade do meio de pagamento.

Quer saber mais? Entenda mais neste artigo preparado pela Você Digital Propaganda.

O que é o Pix?

O Pix é um método de pagamento instantâneo lançado pelo Banco Central. O programa conta com as instituições financeiras, dentre elas bancos, fintechs, instituições de pagamento, que aderiram ao programa que facilitou ainda mais a vida dos usuários. 

Além de poder transferir dinheiro para outras pessoas, o modelo ainda permite realizar pagamentos a estabelecimentos. 

Com o Pix, pagamentos e transferências são concluídos em alguns segundos e podem ser feitos a qualquer horário e dia, inclusive aos finais de semana.

Desta forma, o Pix facilita e agiliza as movimentações de valores entre pessoas e empresas, com o pagamento de contas e até recolhimento de impostos e taxas de serviços.

Para fazer parte disso, você deve apenas aderir ao programa no aplicativo da sua instituição financeira de preferência, onde você poderá gerar uma chave, esta que permite fazer as transações. 

Dentre as vantagens do Pix, podemos recapitular e destacar que:

  • Oferece rapidez na transação (entre 5 e 10 segundos);
  • Está disponível 24h por dia, 7 dias na semana, todos dias do ano;
  • Fácil de usar;
  • Pode ser usado por pessoas físicas, jurídicas e órgãos públicos.

Como funciona o Pix?

O Banco Central oferece uma plataforma bem explicativa para entender como ele funciona, mas vamos ajudar você ainda mais!

Pagamentos com o PIX – como fazer?

Se você deseja fazer pagamentos com o Pix, não precisa fazer nada muito diferente. Seu uso é muito parecido com quando você faz a leitura do código de barras de um boleto pela câmera do celular no aplicativo do banco, até mesmo quando é de forma manual. 

O código de barras é em QR code e no formato manual você pode preencher dados simples do recebedor como email, telefone, CPF/CNPJ ou um código específico.

Assim, não vai mais precisar digitar na mão todos os dados da conta bancária. Há também uma grande acessibilidade digital.

Antes de confirmar a transação, você pode confirmar os dados da pessoa ou empresa, além do valor a ser transferido, e completar todo o processo. E melhor ainda: é grátis para pessoas físicas que estão fazendo o pagamento ou transferência.

Pagamentos com o PIX – como receber?

Quem quer receber o pagamento por meio dessa funcionalidade precisa fazer o cadastro das chaves PIX nas instituições financeiras.

Pessoas físicas podem cadastrar até 5 chaves por instituição financeira. Quem é PJ pode cadastrar até 20 chaves. Em ambos os casos, não podem utilizar a mesma informação em instituições diferentes.

Caso você queira criar uma chave com o celulares, só pode em um banco. Se for fazer em outro banco, pode usar outra informação como email, telefone, etc.

Como cada instituição está querendo máximo de correntistas e valores sendo transacionados, todos estão querendo que você cadastre todas suas chaves em uma só. No entanto, a dica é sempre ter calma e pesquisar. 

Apesar do processo de cancelamento ou portabilidade financeira ser bem simples, todo cuidado é pouco. Com essa chave, é possível gerar um QR code estático, por exemplo, para receber transações. 

Pessoas físicas que recebem transações à princípio também não terão custos, mas as pessoas jurídicas vão poder ser tarifadas pela instituição financeira.

A exceção para pessoas físicas se dá em transações em que ela recebe por um produto ou serviço, quando poderá ser tarifada.

Como usar o Pix para empresas

Os pequenos varejistas, micro-empresas e serviços pontuais podem se favorecer com o Pix, principalmente com o QR code estático. Existe o modelo com valor fixado, ou sem valor definido. 

Por exemplo, um pasteleiro de feira pode gerar e imprimir um QR code já com um valor fixo e deixar visível em seu ponto de venda, ou então gerar QR code e com a opção de valor em aberto para o cliente digitar conforme o serviço que escolher.

Com a grande adesão das pessoas ao Pix, a melhor opção é colocar o máximo de chaves disponíveis para os clientes, mesmo que eles ainda não possuam familiaridade com as carteiras digitais. 

Se for no varejo, e-commerce, tanto para médios e grandes negócios, melhor opção deverá ser o QR code dinâmico. Para utilizá-lo, é preciso fazer uma integração específica para a geração dinâmica desse código de barras.

Procure sempre uma empresa para fazer um site estruturado, e certifique-se que o fornecedor de software de gestão de vendas ou plataforma de e-commerce consegue fazer essa integração para o Pix. A certificação é fundamental.

Com o QR code dinâmico, é possível colocar informações a mais na transação, como:

  • Nome do produto ou serviço, 
  • Identificador da compra ou cobrança;
  • Número de Nota Fiscal ou Cupom Fiscal;
  • Informações de multa, juros e protesto.

Para o e-commerce, em que há mais acesso e vendas pelo celular, é importante lembrar que a imagem do QR code não pode ser lida com a câmera.

Assim como os códigos de barras, o QR code tem um código digitável, onde você pode copiar e colar o mesmo na linha digitável. 

Dicas para as empresas se atentar antes de instalar o Pix:

  • Negocie com a instituição financeira as tarifas;
  • Busque a melhor solução com as empresas de tecnologia para sua implementação;
  • Veja com seus fornecedores de ferramentas de gestão de venda, faturamento, cobrança e estoque sobre a implementação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *