Conheça as principais tecnologias empregadas na indústria têxtil

As inovações no setor têxtil são, hoje, responsáveis por buscar origens mais sustentáveis e oferecer produtos finais mais adequados às necessidades pessoais de cada consumidor. 

Deixando de ocupar somente feiras de inovação e eventos corporativos, essas tecnologias ganharam presença dentro do ambiente de produção e chegam às lojas com um diferencial necessário para conquistar um público cada vez mais exigente. 

Embora não necessariamente inserida na indústria, no sentido mais funcional, a designer Iris Van Herpen tem sido um exemplo recorrente do uso de tecnologia na produção de roupas, indo além de um simples material ou tipo de corte. 

O Brasil já foi pioneiro na implementação de muitas dessas tecnologias e, hoje, é o quinto maior produtor têxtil no mundo. Com uma diversidade industrial bastante grande, o uso dessas tecnologias começa a chegar no consumidor com uma cara bastante atrativa e mais consciente. 

Neste texto você vai conhecer algumas destas principais tecnologias e o que elas indicam para o futuro de uma das indústrias mais antigas e importantes do mundo. 

Modelagem e impressão 3D

As impressoras 3D já são responsáveis pelo desenho e a produção de inúmeros produtos de uso cotidiano, incluindo as roupas. A partir do estudo de protótipos, a indústria têxtil consegue combinar materiais e estruturas entre si para dar origem a novas possibilidades de construção de tecidos, modelagens e até funcionalidade nas roupas.

Confecção 4.0 

Embora seja mais uma combinação de tecnologias, a chamada confecção 4.0 indica caminhos bastante interessantes para a indústria têxtil, dentro e fora das linhas de produção. 

Usando sistemas com módulos interativos, entre eles, leitura de imagens em 3D, realidade virtual e medição digital, é possível mapear o visual de uma pessoa e projetar uma peça feita literalmente sob medida. 

Com isso, a indústria pode basear-se em modelagens mais reais dos seus consumidores na hora de pensar na produção de produtos em larga escala ou simplesmente desenvolver linhas dedicadas a um tipo específico de corpo.

Realidade aumentada e inteligência artificial

Um dos principais desafios da indústria de roupas atualmente é acertar em produtos que conversem com as exigências de um público que busca inovação atrelada à sustentabilidade e aos gostos pessoais. 

Dá para imaginar a dificuldade de chegar a uma produção em larga escala que atenda a necessidades tão específicas. Para isso, o uso de IA e AR tem sido implementado. 

Com inteligência artificial (IA) é possível criar um grande banco de dados, com informações em tempo real de demandas de consumidores, como cores, tecidos, modelagens, preços, etc.

Ao computar essas informações, as empresas conseguem ter uma leitura mais próxima da demanda de seus consumidores, otimizando custos e tempo de produção. 

No caso da realidade aumentada (AR), eles conseguem dar mais transparência sobre a origem dos produtos usados na fabricação, além de proporcionar experiências mais individuais na hora de compra.

Nanotecnologia

Parece papo de filme, mas a nanotecnologia já é algo bastante presente em alguns setores da fabricação de tecidos, principalmente para desenvolver materiais com propriedades especiais e que atendam a funções específicas. 

Um exemplo disso é a construção de fibras de tecido artificiais, que conseguem se adaptar às temperaturas, ao acúmulo de agentes, como umidade e odores, além de ter ação protetora contra potenciais danos à saúde

Pesquisa frequente

A tecnologia não está somente no maquinário da linha de produção. Para chegar ao tecido produzido com garrafa PET, por exemplo, foram necessários anos de investimentos em pesquisa, que permitiram o desenvolvimento de um material eficaz e aplicável no cotidiano. 

O desafio final no uso dessas ferramentas é conseguir chegar a um produto que atenda às necessidades do mercado, mas que também seja acessível ao público consumidor ao qual ele se destina. 

Felizmente, as novas gerações estão cada vez mais atentas e exigentes quanto ao processo de produção dos produtos, o que motiva a indústria a continuar investindo em novas tecnologias que beneficiam não só o próprio mercado, como o consumidor em si.

Texto: Gear Seo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *