5 mitos sobre pets no calor

Faltam alguns meses para o início do verão, mas a temperatura já está alta em boa parte do Brasil.

O calor intenso faz com que as pessoas mudem alguns de seus hábitos, como beber ainda mais água, fazer refeições mais leves e procurar sempre estar em ambientes mais frescos, longe do Sol. O mesmo acontece com os animais de estimação. 

Para que a saúde animal não corra riscos de ficar prejudicada, é preciso repensar alguns aspectos do dia a dia do seu bichinho, como a quantidade de água que ele bebe ou o período que ele deve passear com você. Alguns mitos sobre a saúde dos pets precisam cair por terra para que você não cometa erros ao cuidar do seu bichinho. Veja alguns deles abaixo.

Tosar o cachorro faz com que ele sinta menos calor

Este, talvez, seja o principal mito dessa época. Quando chega essa estação, muitos donos optam por tosar o cachorro, pensando que, assim, o animal sofrerá menos com o calor intenso. No entanto, na maioria dos casos, essa prática não é adequada.

No verão, a troca de pelos do animal faz com que ele fique apenas com a pelagem necessária para sentir-se confortável, sem sofrer com o clima. Tosar o cachorro pode fazer com que os pelos cresçam com uma estrutura modificada, que pode resultar em nós difíceis de serem removidos.

Gatos sentem mais calor que cachorros

Segundo o médico-veterinário Alexandre Daniel, professor da Universidade Metodista de São Paulo, isto não é verdade. Não há diferenças nas sensações térmicas de calor entre as espécies. Ele aponta que outros fatores, como o comprimento dos pelos e a obesidade, é que podem diminuir a perda de calor corporal.

Molhar o gato ajuda a diminuir a sensação de calor

Ainda segundo Alexandro Daniel, não há indicações de que molhar o gato ou colocar toalhas úmidas nele fará com que sofra menos com o calor. Pelo contrário: se forem feitos contra a vontade do animal, esses procedimentos tendem a estressá-lo e deixá-lo ainda mais desconfortável.

O cão tem o mesmo pique para passear

Assim como acontece com os humanos, o cachorro sente calor na hora de exercitar-se. Donos de cães podem reparar que, por mais que eles gostem de passear, o calor reduz um pouco o ânimo deles para esses momentos. Eles vão cansar mais, e isso é algo normal.

Para exercitá-lo sem deixá-lo tão incomodado, o recomendado é que você mude os horários em que passeia com ele. Procure sair bem cedinho, antes das 10h, ou deixe para sair apenas à noite, após às 18h. Também evite passear com o animal sob o asfalto quente, que pode acabar machucando as patas dele.

Opte sempre por passear em lugares que ofereçam sombra e leve uma garrafinha com água gelada para hidratar o cão durante a caminhada. Não intensifique os exercícios dele, obrigando-o a correr demais: o clima quente dificulta essa atividade, e forçá-lo só irá prejudicar o seu bem-estar.

Não precisa mudar a hidratação durante o período

Assim como no caso dos humanos, o consumo de água e comida dos animais muda durante o verão. É necessário que eles estejam sempre hidratados, portanto, troque a água do bebedouro deles com frequência, para que ela fique sempre fresca.

A veterinária Juliene Oliveira recomenda que, se for possível, alguns potes com água sejam espalhados pela casa. Uma boa dica é colocar cubinhos de gelo para deixá-la ainda mais fresca ou oferecê-los para o bichinho brincar e se refrescar. Fontes com água corrente são uma boa para atrair a atenção dos gatos, incentivando a hidratação dos felinos.

Texto: Gear Seo 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *