5 dicas para reinventar seu negócio

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que, entre 2013 e 2016, mais de 340 mil negócios encerraram as atividades em todo o Brasil.

Isto, por sua vez, fechou 3,7 milhões de postos de trabalho em todo o território nacional.

Entretanto, uma crise econômica não precisa ser uma sentença de morte para um estabelecimento, seja ele um comércio ou um prestador de serviços.

É preciso encarar a situação com racionalidade, identificando novas oportunidades para que o negócio volte a prosperar.

Confira algumas dicas pra isso neste post:

Como encontrar novas oportunidades?

Em tempos de crise, todos precisam se reinventar.

Por conta disso, é fundamental para a sobrevivência dos negócios encontrar outras oportunidades de negócio além das que ela já tem.

Ao contrário do que muitos pensam, isso não envolve apenas uma análise externa, mirando o mercado.

É preciso olhar para a própria empresa, seus pontos fortes e fracos, bem como as habilidades de sua equipe.

Confira algumas maneiras de se reposicionar:

Especialize-se

Boa parte do mercado consumidor sente-se mais à vontade em contratar um serviço ou adquirir um produto de uma empresa que se posiciona como especialista no que faz, seja ao procurar alguém para polir granito ou um médico para fazer um tratamento.

Por conta disso, uma opção para que um estabelecimento aumente suas oportunidades de negócio é focar em apenas uma área ou atividade.

Pode parecer paradoxal, mas a imagem de especialista pode fazer com que um único produto ou serviço tenha vendas muito mais substanciais, e por um valor mais alto.

Ofereça serviços correlatos

Há, também, a possibilidade de adotar a estratégia contrária: expandir o mix de serviços ou de produtos que o estabelecimento oferece, de modo a aumentar as vendas.

Uma loja de adesivos, por exemplo, pode oferecer itens de papelaria, como cadernos, lápis, canetas e materiais de escritório em geral.

Contudo, esse tipo de ação também deve ser tomado com cuidado.

É preciso fazer pesquisas e análises para verificar se os novos produtos oferecidos realmente serão vendidos, ou se eles acabarão se tornando apenas mais um custo operacional que não trará retorno algum.

Para evitar que isso aconteça, é importante focar em itens de primeira necessidade, ao invés de produtos supérfluos. Ainda no exemplo anterior, oferecer o serviço de confecção de etiqueta nylon resinado é uma boa ideia.

Faça parcerias com outros estabelecimentos

Há quem veja outras empresas somente como concorrentes.

Isso, porém, nem sempre é o caso: muitas vezes, é possível firmar parcerias que beneficiarão a ambas as partes, trazendo mais oportunidades de negócio.

Por exemplo, uma agência de viagens e uma casa de câmbio podem fazer um acordo, para que uma dê descontos para os clientes da outra.

Assim, quem adquirir um pacote para a Argentina, por exemplo, poderá comprar peso argentino no Brasil na casa de câmbio parceira com uma cotação mais vantajosa.

É algo muito semelhante ao convênio de lojas e restaurantes com estacionamentos privados: todos saem ganhando.

Busque uma consultoria

Entretanto, é possível que os sócios de uma empresa façam várias análises, mas não consigam encontrar uma oportunidade para atrair mais negócios e melhorar o caixa da empresa.

Se for o caso, a contratação de uma consultoria especializada pode ser útil.

A visão externa deste profissional sobre o negócio pode trazer insights que os proprietários, até então, não tinham visualizado. Isso acontece por meio de análises de:

  • Cenário interno, da própria empresa;

  • Cenário externo, do mercado;

  • Demandas da região atendida;

  • Capacidade de investimento.

Deste modo, é possível encontrar uma solução que seja compatível com as características tanto da empresa quanto do mercado.

Busque outros públicos

Da mesma forma, é possível diversificar os grupos atendidos pelo negócio, de modo a ampliar a carteira de clientes.

Por exemplo, uma loja de móveis pode lançar uma linha premium com itens diferenciados, como uma mesa de marmore ou uma bancada de madeira nobre, para atrair um público com maior poder aquisitivo.

Assim, a empresa segue em seu ramo, mas passa a atender pessoas de outra faixa de renda.

As casas de câmbio têm tomado medidas neste sentido nos últimos anos. Com o agravamento da crise, o valor do dolar turismo aumentou drasticamente, o que fez com que muitas pessoas evitassem viagens ao exterior.

Para trabalhar com o novo cenário algumas empresas têm vendido a moeda em parcelas, o que também facilita a aquisição por pessoas de menor poder aquisitivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *