Você sabe o que significa VGBL?

A Previdência Privada se transformou no sonho de consumo de uma série de brasileiros. Especialmente depois da Reforma da Previdência, que tornou o processo de aposentadoria muito mais trabalhoso, cada vez mais pessoas têm buscado maneiras de garantir o seu sustento na melhor idade.

Vale a pena salientar, no entanto, que a Previdência Privada não serve apenas para isso. Se você já tem uma fonte de renda “garantida” para a aposentadoria, pode apostar na Previdência para ter dinheiro para adquirir patrimônio futuro, bancar os sonhos dos seus filhos, fazer a viagem dos seus sonhos.

Antes de investir, porém, é necessário se informar sobre as particularidades desse investimento. Por exemplo: para o seu caso é melhor pgbl ou vgbl? Qual das tabelas é mais interessante para o seu objetivo? A seguir, falaremos um pouco mais sobre o assunto. Confira.

Previdência privada: conheça os tipos

Existem dois tipos de planos de previdência privada, como você sabe: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

Os planos tipo PGBL são os prediletos dos investidores que, na hora de entregar a declaração do Imposto de Renda, fazem uso do modelo completo (e, por consequência, aproveitam benefícios fiscais). 

Quem tem um plano de Previdência Privada no modelo PGBL pode deduzir as contribuições realizadas ao plano de sua renda bruta tributável em até 12% ao ano.

Isso é vantajoso? Sim! Ao deduzir os valores do plano de Previdência, o investidor paga um valor de Imposto de Renda reduzido. Não por acaso, pessoas que optam pela PGBL aproveitam o dinheiro que recebem “de volta” para fazer mais aportes na previdência.

A “desvantagem” do PGBL está no fato de que, na hora de resgatar os recursos acumulados durante o período de aportes, será necessário pagar Imposto de Renda sobre o valor total do investimento (ou seja, contribuições mais rendimentos).

VGBL

Ao contrário dos planos tipo PGBL, os planos VGBL não dão ao investidor a possibilidade de benefício fiscal. Por conta dessa característica, são os preferidos de quem tem o costume de fazer a declaração de Imposto de Renda simplificada.

No momento do resgate, no entanto, o VGBL mostra o seu valor: o Imposto de Renda, nessa hora, incide apenas sobre os rendimentos da Previdência e não sobre o valor total, como acontece no PGBL.

Planos de tributação

Além de escolher se prefere o PGBL ou o VGBL, o investidor deve, no ato da contratação, escolher o plano de tributação de sua preferência. Existem dois tipos de planos, que são:

Tabela progressiva

Nessa tabela, as alíquotas aumentam de acordo com o valor que será recebido pelo investidor mensalmente, após a finalização do período de aportes. Quanto maior o valor recebido, maior o valor da alíquota a ser paga.

As alíquotas têm valor variável – podem ir de zero a 27,5% – e são definidas de acordo com a renda total do investidor. Para o cálculo da renda total, vale dizer, são levados em consideração o próprio plano de previdência, ganhos decorrentes de aluguéis e outras fontes pagadoras, como a aposentadoria do INSS.

Tabela regressiva

É a melhor opção para aplicações de longo prazo (dez anos ou mais), uma vez que a tributação cai com o passar dos anos de investimentos aplicados.

Não é uma forma de tributação interessante para quem deseja fazer investimentos por pouco tempo. Caso seja necessário sacar o dinheiro antes do tempo, a alíquota a ser paga pode ser realmente alta – às vezes, até maior do que a da tabela progressiva.

Convém dizer, também, que a definição da alíquota de Imposto de Renda acompanha cada aporte. Na prática, isso significa que, no momento da recuperação dos valores, o investidor terá aportes mais antigos e aportes mais recentes. Sobre os antigos, incidirá tributação mais leve; sobre os mais novos, porém, os valores podem ser altos.

Ainda assim, a diferença no valor das alíquotas é significativa: investimentos de até dois anos têm alíquota de 35%, enquanto investimentos de mais de dez anos têm alíquota de 10%.

Como escolher o melhor plano de previdência privada?

Após entrar em contato com as informações acima, não é raro que os investidores se perguntem qual é o melhor plano de previdência privada para as suas necessidades e objetivos futuros.

Se você não tem certeza sobre quanto deve investir mensalmente e sobre quais são os planos de tributação mais interessantes para o seu caso, entre em contato com um especialista: com base na sua vida financeira, nos seus planos para o futuro e as suas possibilidades do momento, ele poderá sugerir um caminho seguro a seguir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *