Semana de 4 dias é possível: primeira empresa brasileira já aderiu e como seria esse sonho

Marca pet encurtou a semana útil de trabalho no Brasil; fim de semana de 3 dias implica em gastos mais elevados

Trabalhar quatro dias e ter três dias de fim de semana. Na empresa de produtos para pets Zee.Dog, os funcionários ganharam mais um dia de descanso para aumentar a produtividade nos outros dias. 

Mas como ficam os gastos quando se tem mais um dia livre para curtir? 

Na empresa, a quarta-feira foi o dia selecionado para recarregar as baterias, passar um tempo com a família ou resolver assuntos pessoais, e sabemos que, com um dia livre a mais, é difícil resistir à tentação de consumir algo extra.

Alguns exemplos dessas tentações, são: uma sessão de cinema, uma massagem no spa ou uma roupa daquela loja que está sempre lotada.

No caso dessa proposta – até então imaginária -, será que vai sobrar dinheiro no fim do mês ou as contas nunca vão fechar?

Nos acompanhe nessa linha de raciocínio para que possamos descobrir qual seria  o gasto médio de quem vai desfrutar de mais um dia de folga, além de entender se esse sonho poderia virar realidade no seu caso. 

Trabalhar quatro dias por semana vai ser possível um dia?

O caso da empresa brasileira vem para mostrar que não apenas pode, como já é em alguns lugares.

Ao redor do globo, alguns sortudos também têm a chance de curtir três dias de descanso! Dá só uma olhada nos seguintes exemplos:

Utah

No estado de Utah, nos Estados Unidos, a prática foi implementada em 2008. 

Funcionários do governo começaram a trabalhar 10 horas por dia, de segunda a quinta, totalizando as 40 horas de trabalho semanais que são comuns por todo o mundo, mas distribuídas em apenas 4 dias. 

O objetivo era cortar custos com electricidade, aquecimento, ar condicionado e combustível para automóveis que pertenciam ao estado. 

Porém, isso foi interrompido em 2011 graças ao veto do governador Gary Herbert, que retornou aos 5 dias de trabalho semanais.

Gâmbia

O presidente Yahya Jammeh introduziu, em 2013, semanas com apenas quatro dias de trabalho para funcionários públicos. 

O horário de trabalho passou a ser de segunda a quinta-feira, das 8h às 18h, enquanto a sexta-feira foi designada como um dia de descanso para os habitantes se dedicarem mais às rotinas de oração e agricultura.

A regulação foi abolida no início de 2017 por seu sucessor, o presidente Adama Barrow, que decretou meio dia de trabalho às sextas. Ou seja, eles trabalham quatro dias e meio por semana, o que ainda é um bom negócio!

Reino Unido

Entre o final de 2018 e o começo de 2019, uma série de empresas britânicas passaram a adotar semanas com apenas quatro dias de trabalho, de restaurantes a call centers e empresas de pesquisa.

O Partido Trabalhista do Reino Unido, inclusive, adotou a prática como sua política interna oficial, além de ter prometido adotar essa política em todo o país, sem nenhuma perda financeira aos trabalhadores, até 2029, desde que vencessem as eleições gerais de 2019.

Embora isso não tenha ocorrido, o líder do partido, Jeremy Corbyn, disse que a derrota não foi um voto contra essa política, ou seja, ainda há chances de que essa seja a realidade do futuro.

Por que existe o interesse em reduzir o número de dias da jornada de trabalho semanal?

O principal motivo é o aumento de produtividade à medida em que se reduzem os níveis de estresse dos trabalhadores, resultando em níveis maiores de satisfação. 

Além disso, durante o expediente, as pessoas ficam mais estimuladas e o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal também melhora.

A Microsoft fez essa experiência durante o mês de agosto de 2019 em uma de suas subsidiárias no Japão, o que resultou em um aumento de 39,9% na produtividade em comparação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com divulgação da própria empresa.

É claro que os resultados devem variar de acordo com cada empresa e, portanto, demandam estudos específicos, mas bons indicativos não faltam para endossar a tomada de tal decisão.

Mas e os gastos do fim de semana, como ficam?

Não dá para especificar quanto se gasta nos dias em que você está de folga, já que isso varia de acordo com uma série de fatores, como poder aquisitivo, preferências pessoais, região e afins. Mas fato é que os gastos tendem a aumentar.

No caso de um dia livre às quartas-feiras, a terça-feira funcionaria como uma sexta-feira, um dia quando amigos fazem um happy hour, casais vão ao cinema, famílias frequentam restaurantes e assim por diante. 

Já a quarta-feira seria o semelhante a um sábado, ou seja, comércio e serviços estariam em seu pleno funcionamento. Não seria fácil ceder à tentação de ir ao salão de beleza ou passear no shopping e assim gastar um pouco.  

Tudo isso sem esquecer dos verdadeiros sextas-feiras à noite, sábados e domingos, que continuariam sendo momentos de curtir bastante, pois há tempo hábil para se recuperar até a segunda-feira, quando a rotina começa a voltar ao normal.

Considerando o período de um mês, a conta tenderia a ficar mais elevada. 

Para evitar ter problemas financeiros, os amantes dos fins de semana precisam adotar algumas estratégias, como fazer programas em casa, economizar com cupons de desconto, privilegiar atrações gratuitas, etc.

São concessões que valem a pena quando pensamos no tempo livre adicional. 

Embora a semana de 4 dias de trabalho ainda seja uma realidade um pouco distante para a maioria dos brasileiros, já é possível ir treinando para curtir os fins de semana ao máximo e economiza. Quer coisa melhor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *