Qual o papel e função do síndico?

Em casas de condomínio e prédios, por existirem várias pessoas convivendo no mesmo ambiente, é preciso alguém que as represente. Este é o papel do síndico, que também deve atuar na resolução de problemas.

Assim, ao fazer a compra da casa própria em um condomínio, por exemplo, é importante procurar conhecer a pessoa com esta responsabilidade. Quais seriam, então, as funções e o papel do síndico? Confira tudo o que você precisa saber sobre o cargo.

Quem pode ser síndico?

O síndico pode ser um morador do condomínio, desde que entenda todas as responsabilidades que assumirá, eleito por meio de uma assembleia. Ele também pode ser um profissional habilitado e contratado, sem a necessidade de viver no local. 

É importante ressaltar que, mesmo no caso de um síndico profissional, não há vínculo empregatício. Com isso, não é preciso pagar direitos trabalhistas como férias, salário ou assinar a carteira de trabalho.

Quais as funções do síndico?

Em resumo, o síndico é a pessoa responsável pela administração de tudo o que acontece em um condomínio. Seu papel é representar os moradores em todas as decisões. Sendo assim, cabe a ele:

Organizar reuniões entre os condôminos

Nas reuniões o síndico deve repassar aos moradores quais melhorias foram feitas e como estão os gastos do condomínio. Além disso, se há interesse em uma reforma ou contratação de uma equipe de segurança, por exemplo, isso deve ser votado entre os presentes.

A convocação para a assembleia pode ser feita por cartazes colados nos murais dos blocos ou via aplicativos, como o WhatsApp. Após a reunião, é importante que tudo que foi conversado seja divulgado, até porque pode acontecer de alguém não estar presente.

Cuidar da saúde financeira do condomínio

Todos os meses os moradores pagam a taxa de condomínio e esse valor é investido no local. Pode ser usado para o pagamento de funcionários (limpeza, portaria, segurança) e nas melhorias do prédio. 

Cabe ao síndico cuidar desse dinheiro e apresentar aos moradores onde está sendo aplicado. Ou seja, é feita uma prestação de contas mensal. A ideia é justificar o preço cobrado na taxa condominial.

Cuidar da segurança do local

A segurança não significa que o síndico deve vigiar tudo o que acontece no local, mas, sim, fazer com que os condôminos se sintam seguros. Assim, precisa cuidar para porteiros e vigias estarem sempre atentos e evitar que dados sobre os moradores se espalhem.

Também deve cobrar que visitantes, entregadores e prestadores de serviço sejam atendidos do lado de fora do portão. A liberação de acesso deve ocorrer apenas após confirmação com o morador.

Garantir o cumprimento de obrigações

Para uma boa convivência no condomínio, os moradores devem seguir algumas regras. O síndico deve cobrar que isso seja cumprido e, caso não aconteça, enviar notificações e multas.

Por isso, é importante ter um regulamento para uso das áreas comuns e um prazo para pagamento da taxa de condomínio. Nos casos de inadimplência, ele pode fazer a cobrança, mas sempre de maneira amigável. Ele pode, ainda, encaminhar o problema para uma ação judicial.

Representar o condomínio nos interesses em comum

Seja entre os condôminos ou formalmente (nos casos de ações na justiça), é o síndico o representante dos interesses do condomínio. 

É essa pessoa quem ajudará na comunicação entre vizinhos ou estará presente nos órgãos públicos para discussão de algo que afete o prédio.

Prezar pelo uso correto das áreas comuns

Os moradores de apartamentos ou casas de condomínio têm acesso às áreas em comum. São elas: o salão de festas, a churrasqueira e os parquinhos infantis, por exemplo. Por isso, é dever do síndico cobrar o uso correto desses espaços. 

Em caso de algum dano (como deixar sujeira após uma festa), o responsável deverá ser cobrado e reparar os estragos causados.

Texto: Gear Seo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *