Processos de fabricação e regulamentação das joias

O mercado de joias gira muito a economia de um local. Por serem itens muito específicos, são vendidos por valores muito altos.

Assim, andam na contramão das expectativas econômicas de outro setores de comércio e crescem cada vez mais.

O Brasil é um dos 15 maiores produtores de peças em ouro do mundo. Sendo assim, é um assunto muito importante quando falamos em economia.

Quem utiliza joias gosta de adquirir peças exclusivas e únicas. Assim, cada detalhe é importante. Mas você sabia que há um processo próprio de fabricação e uma regulamentação exclusiva para as jóias?

O processo de fabricação

O desejo pelas jóias, por materiais nobres e por pedras preciosas caminha junto com a história da humanidade. Desde sempre, esses objetos foram símbolos de poder e beleza.

Existem dados que mostram que antes mesmo de saber escrever, o homem já fabricava objetos de enfeite. Isso envolve corrente, anel, brinco, pulseiras e entre outras peças.

Para que esse ramo continue crescendo, são necessárias questões como criatividade, materiais de qualidade e utilização de equipamentos tecnológicos. Para criar uma joia, é preciso passar por algumas etapas, como:

  • Design;
  • Fundição;
  • Laminação;
  • Recozimento;
  • Trefilação;
  • Forjamento;
  • Modelagem;
  • Lixamento;
  • Polimento.

O design é o momento da criação da peça. É onde a criatividade é colocada à prova, tornando aquela peça única e futuramente desejada.

Normalmente, o designer segue o que está em alta no momento e o estilo da marca. Após isso, é feita a confecção de um molde para que o material fundido possa ser inserido e, assim, virar uma aliança ou qualquer outro tipo de joia.

O acabamento se inicia nesse momento, com a laminação, o forjamento e a modelagem de peça por peça. Isso deve seguir a ideia inicial do designer.

Há, também, o banho da joia, para que fique ainda mais bonita e iluminada. O lixamento e o polimento também têm esse objetivo: deixar a joia inteiramente perfeita.

É no processo de fabricação que se faz o carimbo para joias. É nele que se encontram marcas, logos e informações necessárias de determinada peça.

Desenhos diferenciados também são feitos com carimbos, o que deixa a peça ainda mais exclusiva. Anéis carimbados são muito procurados hoje em dia. Sendo assim, adquirir uma máquina que realize esse carimbo é fundamental.

O nome dessa máquina é carimbador de alianças. Ela pode ser utilizada nos dois tipos de alianças existentes: a aliança chata ou a aliança meia cana.

Para fazer esse processo, é preciso pressionar o carimbo, com cuidado, sobre a peça. Assim, será marcado o que é desejado.

Alguns dos equipamentos necessários para a fabricação de uma joia são:

Além do ouro e da prata, materiais que têm um preço elevado, muitas das peças são feitas também em titânio, paládio e inox. Isso porque, esses três últimos materiais são mais baratos e, ainda sim, possuem qualidade.

Aliás, o inox é muito utilizado para a criação de joias masculinas, como pulseiras e colares.

Regulamento das joias e bijuterias

Antes, além dos materiais utilizados, como ouro, metal e prata, era muito comum inserir outros tipos de resíduos nas peças de joias.

Chumbo e cádmio são alguns deles. Porém, a partir desse ano, esses dois materiais foram proibidos. Isso porque, eles oferecem riscos à saúde e ao meio ambiente.

Mais comuns em bijuterias, esses materiais pesados podem afetar nossos rins, além de serem agentes cancerígenos.

Assim, segundo a Portaria n°43 do Inmetro, a partir de 2019, o limite de chumbo por peça é de 0,03% e de cádmio é de 0,01%. Essa portaria foi lançada em 2016, o que deu 3 anos para que os fabricantes se atualizassem.

Crianças eram as vítimas mais comuns dessas peças. É que as bijuterias compradas para brincadeiras infantis eram frequentemente feitas com materiais danosos à saúde.

Além disso, crianças geralmente colocam as peças na boca, o que é ainda pior quando falamos de saúde.

Mercúrio, arsênio, bromo e cloro são outras substâncias frequentemente encontradas nas bijuterias. Outros danos que podem causar são problemas de nascimento, dificuldade na aprendizagem e alergias.

Para concluir

Independentemente de onde as jóias ou bijuterias sejam compradas, é preciso que sigam as normas de qualidade e sejam fabricadas com cuidado. Assim, é possível prevenir graves problemas de saúde e, ainda, investir na beleza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *