Pé na estrada: 4 destinos brasileiros para conhecer de carro

Conhecido internacionalmente como um grande destino turístico, o Brasil é um país de dimensões continentais, cuja diversidade é proporcional à grandeza de seu território — o quinto maior do planeta. 

Praias paradisíacas, distribuídas em 8.500 km de costa, ilhas, dunas, matas, florestas, campos, chapadas, cânions e regiões serranas são alguns exemplos. Somente na região central do país, coexistem diferentes biomas, como cerrado, pantanal e um pequeno trecho da floresta amazônica, o que torna essa área muito instigante para qualquer viajante.

Embora a infraestrutura de rodovias possa dificultar o acesso a algumas áreas, viajar de carro é a melhor opção em certas localidades do país. Confira algumas delas a seguir.

Cidades históricas mineiras

Para quem gosta de história e é apaixonado por arquitetura colonial, as cidades históricas mineiras são um destino certo: Tiradentes, Marianas, Sabará, Diamantina, São João Del Rei, Cordisburgo, entre outras.

Saindo da capital Belo Horizonte, é possível montar diferentes rotas para percorrer essas cidades. Uma opção é pegar a BR-356 e visitar a conhecida Ouro Preto, seguindo para Bom Jesus de Matosinhos para contemplar o lindo santuário situado por lá. 

Em seguida, siga na direção Sul, pela BR-383, e pare em São João Del Rei e Tiradentes — talvez, a cidade que possui o patrimônio histórico mais bem preservado entre todas — composto de igrejas, casarões e outras construções.

Sertão nordestino

O sertão nordestino é uma das áreas mais marcantes do país, tema de inúmeras obras artísticas na música, no teatro, na literatura, no cinema e nas artes plásticas, além de abrigar inúmeras comunidades tradicionais e culturas populares pulsantes, como festas juninas e o forró.

Existem diferentes opções para percorrer alguns pontos. Uma sugestão é começar pela cidade de Paulo Afonso, no sertão baiano. Visitar a Serra do Umbuzeiro, no povoado de Riacho, a 20 km de Paulo Afonso, é ter a chance de ver de perto mandacarus, xique-xiques e cactos da caatinga sertaneja. A temperatura na região pode passar de 40 graus.

Em seguida, pelas rodovias estaduais BA-210 e SE-230, vá até Canindé de São Francisco, onde estão os famosos cânions do rio São Francisco — o mais lendário do sertão nordestino. 

Situada na fronteira entre Alagoas e Sergipe, a paisagem é exuberante: composta pela união do verde-esmeralda do rio e das belas formações rochosas. É possível dar um bom mergulho na área, desde que acompanhado por guias. Dependendo da época do ano em que você viajar, será possível ver a bela flor do mandacaru — que só nasce quando chove.

Cânions no Sul 

Para quem gosta de altura e aprecia o verde de regiões montanhosas, desfrutando de trilhas e banhos de rio e cachoeira, a Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, e os cânions do Itaimbezinho, no Rio Grande do Sul, são dicas valiosas. O trajeto tem paisagens impressionantes, que só podem ser acompanhadas em uma viagem terrestre.

Na serra catarinense, as estradas declinadas e muito curvadas são uma atração à parte, em um cenário digno de filme. A paisagem é fortemente marcada por cânions, como o das Laranjeiras, e por belas araucárias.

Em seguida, pegue a rodovia RS-020 e vá para Cambará do Sul, onde fica o Parque Nacional dos Aparados da Serra, próximo da fronteira entre os dois estados.  Além dos cânions, que estão entre os mais altos do Brasil, é possível fazer a famosa trilha do Rio do Boi, que exige o acompanhamento de guias turísticos em função de sua dificuldade.

Costa dos corais 

A costa de pouco mais de 20 quilômetros situados no Norte de Alagoas é marcada pelo mar azul claro, que chega a ofuscar os olhos, de tão cristalino. Além da cor, outros diferenciais do lugar são as praias, a areia branca e o mar, que permitem uma caminhada de poucos quilômetros, enquanto a água se mantém na altura da canela.

Se você sair de Maceió, pegue a AL-101, sentido Norte, até Barra de Camaragibe. A partir dela, percorra toda essa costa até Porto de Pedras. O trajeto é composto por praias paradisíacas e piscinas naturais, formadas por barreiras de corais em seu mar, o que conferiu o nome da região.

Texto: Gear Seo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *