Economia doméstica: 5 formas práticas de reduzir despesas em casa!

Para quem vive sozinho, não tem altas reservas de emergência ou está perdido nas finanças pessoais, o processo de se organizar e reduzir as despesas pode parecer muito difícil. No entanto, algumas mudanças simples nos hábitos de consumo e gastos recorrentes já fazem muita diferença na economia doméstica.

Antes de tudo, é importante avaliar a realidade de sua situação financeira: se você está gastando acima de seu poder aquisitivo, talvez seja hora de repensar quais gastos são realmente necessários no dia a dia. É claro que há despesas que são inevitáveis, como contas da casa e manutenção, mas também ajuda estar preparado para reduzir os custos de seu estilo de vida. 

 

Nesse processo, um dinheiro extra é sempre positivo: se sobra no final do mês, pode ser utilizado para criar uma reserva de emergência, investir em você mesmo (como um curso ou aperfeiçoamento), ser aproveitado com lazer ou até se tornar parte de planos futuros.

 

Mas, para isso, é importante saber no que é possível economizar. Pensando nisso, o Guia de Investimento preparou uma lista com 5 dicas para você cortar gastos sem preocupação e manter suas finanças em dia.

Como melhorar sua economia doméstica em 5 dicas!

1) Reveja as contas

As contas são uma consequência de nossos hábitos, mas é sempre possível reduzi-las. Um dos exemplos é o consumo de TV, internet e telefone. Por exemplo, se você utiliza um plano de internet banda larga em casa, pode ser hora de reavaliar o contrato e considerar outras possibilidades. 

 

Muitas operadoras oferecem descontos em pacotes ou você pode solicitar opções que sejam mais em conta que a atual. É importante também comparar planos de diferentes operadoras e se elas abrangem seu CEP: pode ser que você descubra novas opções.

 

Da mesma forma, o consumo de telefone fixo e móvel pode ser repensado. Uma pessoa que não se desloca muito, por exemplo, nem sempre precisa de um pacote de dados ilimitado (e caro), mas pode se beneficiar de promoções que trazem bônus das operadoras. 

 

Outra ideia é ver quais serviços você de fato utiliza: nunca faz uso de todos os minutos de ligação DDD? Que tal conversar com a operadora sobre retirar essa opção do pacote? 

 

Na hora de escolher sua operadora e seu plano, é importante saber para que você utiliza o celular: se é fã de Whatsapp, por exemplo, busque contratos de que estabeleçam dados ilimitados no app. O mesmo vale para apps de navegação para quem se desloca muito de carro pela cidade.

 

A TV é outra questão importante: apesar de ser um ótimo entretenimento, ela representa grande parte do pacote. Analisar qual parte da programação você realmente assiste e qual serviço de TV por assinatura sai mais em conta ajuda a diminuir o custo geral.

2) Evite o desperdício

Além de fazer mal para o meio ambiente, gastar muita água e energia elétrica também prejudica seu bolso. As tarifas desses serviços sofrem alterações conforme o grau de consumo, então, atentar para o consumo diariamente traz muitos benefícios para a economia doméstica. 

 

Opte por desligar as luzes que não estiver utilizando, evite deixar aparelhos elétricos no modo standby, prefira luz e ventilação naturais, tome banhos curtos e não deixe a torneira ligada: colocando em prática algumas mudanças, o efeito é enorme.

3) Cuidado com o cartão de crédito

Bons cartões de crédito podem ser grandes aliados na organização financeira, mas apenas se forem utilizados corretamente. Para quem tem controle sobre os gastos, eles são uma forma de acumular pontos, vantagens e manter tudo no mesmo lugar. Já para quem acaba cedendo ao consumismo, podem virar inimigos: o gasto desenfreado gera faturas altas e juros.

 

Uma dica é desativar a opção de pagamentos automáticos em sites de e-commerce e fazer anotação de gastos semanalmente. Assim, você evita compras por impulso e ainda se mantém a par de sua própria situação financeira. E claro: compare as opções de cartões para escolher o ideal para sua realidade.

4)  Sem gastos desnecessários na cozinha

Entre apps de delivery e a preguiça de cozinhar, muitas pessoas acabam gastando mais do que podem em alimentação. Cozinhar em casa, além de saboroso e saudável, é mais barato: opte por produtos da estação e feiras de produtores locais, o que torna os preços melhores e os alimentos mais saborosos que as versões processadas.

5) Crie uma reserva financeira

Imprevistos acontecem. Pode ser uma manutenção inesperada em sua casa ou veículo, um problema de saúde ou até uma demissão. Para evitar que o desgaste financeiro seja alto, é importante manter uma reserva de emergência. Separe um dinheiro que represente de seis meses a um ano de seus gastos e mantenha-o acessível, em investimentos de renda fixa com liquidez diária. 

 

Com algumas mudanças, sua saúde financeira melhora e além de evitar estresse, você contribui para seu futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *