Saiba como usar o e-learning como ferramenta de onboarding

Para suprir as demandas crescentes de um setor, a empresa precisa fazer novas contratações e introduzir esses candidatos ao dia a dia de trabalho do negócio. 

Contudo, pode levar algum tempo até que um indivíduo se ajuste e comece a acompanhar o ritmo da empresa. Por isso há tanto investimento em ferramentas de onboarding, como é o caso do e-learning.

Para aqueles que não conhecem os termos, “onboarding” diz respeito ao processo de integração de um novo membro da equipe até que ele esteja em sua total capacidade.

Já o e-learning é uma ferramenta que permite o estudo de conteúdos a distância, utilizando materiais de apoio e videoaulas digitais.

Esses recursos são cada vez mais utilizados em empresas. Se você tem dificuldades com o onboarding, é bem provável que eles ajudem a acelerar o processo e elevar a produtividade de novos colaboradores.

Quer entender melhor como? Então acompanhe este artigo!

Impactos positivos do e-learning

Há vários motivos que justificam uma maior presença das ferramentas de educação a distância na integração de novos funcionários. Veja aqui alguns dos impactos positivos que ela pode trazer para seu negócio.

Acessibilidade do conhecimento

Em muitos casos, a maior dificuldade para integrar um novo profissional ao corpo funcional ou cargo é encontrar o tempo e o espaço necessários para prestar todo esse treinamento.

Isso ocorre especialmente em um negócio altamente dinâmico em que esse tempo é limitado. 

Nessas situações é importante que os indivíduos aprendam o máximo possível por conta própria.

Com o auxílio de materiais digitais você facilita bastante o acesso da equipe a essas informações e instruções. 

Isso ocorre tanto durante o período de onboarding quanto após sua integração. Com isso, cada colaborador pode revisar conteúdos e se atualizar sem dificuldades ou impedimentos.

Fácil reutilização de materiais

Se você realiza treinamentos presenciais toda vez em que é feita a contratação de um novo colaborador, terá que reapresentar os mesmos materiais com muita frequência, o que não é um uso muito eficiente do seu tempo e energia. 

Isso sem falar que na replicação do conteúdo certos detalhes podem se perder, comprometendo a qualidade do aprendizado.

Como o e-learning utiliza materiais digitais para transmitir conhecimento, é possível apresentar conteúdos já gravados com mais facilidade. 

Caso seja necessário fazer alguma atualização, ela pode ser feita de forma localizada, sem afetar a estrutura do treinamento como um todo. Tal formato é étimo para treinamentos em maior escala.

Baixo custo de tempo e recursos

Como mencionamos, os treinamentos e materiais de apoio digitais não exigem que gestores ou outros profissionais separem algumas horas durante o período de onboarding. 

Além de diminuir o impacto desse processo no dia a dia de trabalho dos demais colaboradores, isso também economiza os recursos da empresa.

Reservar uma sala, preparar o material e testes, além do tempo para ministrar tais palestras sempre custa bastante ao negócio, tanto financeiramente quanto em produtividade

Mesmo que o acompanhamento presencial ainda seja necessário, a quantidade pode ser bem reduzida, assim como as despesas decorrentes desse formato.

Padronização de informações e processos

Um problema que muitos negócios enfrentam na hora de introduzir um novo colaborador é garantir que ele trabalhe em conformidade com o resto da empresa. 

Isso porque sem a orientação correta, cada indivíduo ou área do negócio começa a desenvolver rotinas que não se encaixam. Processos informais costumam ser necessários, mas eles sempre prejudicam a cooperação entre os setores.

Como o e-learning utiliza uma única plataforma para transmitir as mesmas informações a todos os colaboradores, as chances de que algo seja passado incorretamente é bem menor. Isso ajuda a uniformizar a maneira como o dia a dia de trabalho é conduzido.

Flexibilidade na formação

Mesmo dentro de um mesmo setor ou função, cada indivíduo ainda apresenta rotinas levemente diversas, além de absorver o conteúdo no próprio ritmo. 

Conseguir se adaptar a essas particularidades faz uma grande diferença no processo de integração desse colaborador, o que também afeta sua produtividade nos primeiros meses.

Como o aprendizado virtual não exige nada além do tempo do indivíduo, ele pode flexibilizar a própria agenda de aprendizado. Isso pode acontecer sem comprometer a rotina de outras pessoas e maximizando seu próprio aproveitamento do material.

Para simplificar, figuram entre as vantagens:

  • Facilidade de aplicação do treinamento;
  • Adaptação de conteúdo de acordo com a função;
  • Padronização da informação passada;
  • Facilidade na compreensão e execução dos processos;
  • Baixo custo.

Pontos de atenção na hora de implantar o e-learning

Claro que, para que essa ferramenta gere o resultado que você busca, é necessário ficar atento a alguns componentes. 

Sem o preparo adequado, você não terá o mesmo sucesso com os materiais digitais que teria com um treinamento presencial. Veja aqui 3 pontos aos quais você deve se atentar durante essa implantação.

Estrutura

Naturalmente, para que os seus colaboradores possam aproveitar os materiais e treinamentos, você deve ter um banco de dados que os novos colaboradores tenham acesso.

Isso geralmente envolve a adoção ou criação de uma plataforma de aprendizado. Sem isso, você não terá como oferecer nenhum material.

Além disso, sua equipe precisa de um meio de acesso a esses conteúdos. Isso implica no uso de computadores da empresa ou, pelo menos, de aparelhos móveis conectados à sua rede.

Método de ensino

Outro ponto importante é definir bem qual será seu processo de ensino. Serão utilizados testes? Eles serão intercalados com os cursos ou ministrados no final? Haverão leituras obrigatórias ou apenas vídeos? Quantos módulos?

Tudo isso afeta a forma como os candidatos absorvem as informações e, consequentemente, como as implementam no dia a dia. Responder e elaborar essas questões o quanto antes poupará várias dificuldades no decorrer do curso.

Tipo de conteúdo

Por fim, você deve ter em mente o melhor tipo de conteúdo. Treinamentos para a função específica, regras gerais da empresa, dentre outros aspectos precisam ser qualificados e abordados de maneiras diferentes. 

Isso sem falar que, para evitar confusão por parte dos colaboradores, vale a pena controlar o acesso a diferentes treinamentos. 

Para se ter uma ideia, alguém no setor financeiro não precisa do mesmo conteúdo que alguém que trabalha no atendimento ao cliente, por exemplo.

Com essas informações você já pode começar a implementar o e-learning no seu processo de onboarding com mais facilidade. Enquanto você continuar se atualizando sobre o tema e usar ferramentas adequadas, certamente verá resultados positivos.

E se quiser mais ajuda para elevar a qualidade de suas contratações, entre em contato com a Reachr e veja como podemos ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *