Emprego em transformação – 7 dicas para permanecer em alta no mercado de trabalho

O emprego passará por uma enorme transformação devido à grande revolução tecnológica, em que a automação e a eficiência da inteligência artificial farão com que áreas inteiras desapareçam. Devemos estar preparados para os grandes desafios que nos aguardam.

Existem estudos que mapeiam como será o mercado de trabalho em 2030. Por exemplo, dizem que o tempo gasto resolvendo problemas vai dobrar, além de aumentar em 77% o uso das ciências e habilidades matemáticas em todas as áreas. Além disso, 30% do dia de trabalho será dedicado ao aprendizado. (Para acessar a pesquisa na íntegra, clique aqui.)

Assim, preparamos sete dicas para você ficar atento e permanecer com a carreira em alta. Confira:

Aprender a aprender

Cada vez mais será exigido dos profissionais o constante aprendizado e desenvolvimento de novas habilidades. Por isso, o estudo deve fazer parte do plano de carreira durante toda a vida.

Atualmente, com a velocidade da tecnologia, é muito difícil o profissional aprender algo em sala de aula ou até mesmo no mercado de trabalho e ter a certeza que aquilo lhe será útil no futuro. As chances de ser um aprendizado ultrapassado são muito grandes. Por isso, o desafio é se preparar para o aprendizado constante e, para isso, precisamos aprender a aprender.

Um caminho que muitos jovens e até profissionais já estabelecidos em suas carreiras, mas que não querem se tornar profissionais defasados têm buscado é a ajuda de consultorias e coachs.

Empreendedorismo 

Como muitas áreas de trabalho vão desaparecer ou ser modificadas completamente, o empreendedorismo será uma das grandes alternativas e tende a crescer nos próximos anos. 

As carreiras serão cada vez mais construídas com a alternância em diferentes áreas durante a vida profissional, às vezes até ao mesmo tempo. Por exemplo: será cada vez mais comum alguém dividir seu tempo como funcionário de uma empresa e, ao mesmo tempo, em casa, atue como empreendedor. 

O custo e o tempo para se iniciar um negócio caiu e novos empreendedores individuais e de pequenas empresas são beneficiados com uma redução significante em impostos e custos iniciais. 

O crescimento das comunicações eletrônicas, a computação em nuvem e a mobilidade reduziram as despesas de operação. Inspirados em modelos como os de Mark Zuckerberg ou Evan Spiegel, as pessoas terão a inovação ou o empreendedorismo como plano de carreira, ao invés do sonho de entrar para grandes empresas ou nelas permanecer.

Visão Criativa

O que entendemos por ser “inteligente” está mudando, não basta apenas um vasto conhecimento teórico e técnico, mas como tudo isso é aplicado de forma criativa em diferentes áreas.

Não haverá mais espaço para o trabalho mecânico e burocrático, estes já serão realizados de forma bastante eficiente pela tecnologia. Gastaremos mais do nosso dia focados na solução de problemas. 

Pessoas com abordagens mais criativa e estratégica terão vantagem no mercado profissional.

Habilidades de comunicação 

Cada vez mais será exigido que os profissionais sejam bons comunicadores, independente de área de atuação. Não existe mais espaço para que a velha desculpa do “sou de exatas” justifique a falta de habilidade para se liderar uma reunião ou fazer uma apresentação.

Conhecimentos de informática 

O mercado de trabalho inviabilizará os profissionais que não tem o mínimo de conhecimento e familiaridade com as tecnologias. Um exemplo bastante comum e atual são os motoristas de Taxi e Uber.

Todos já ouvimos histórias de trabalhadores que acabaram deixando o trabalho e se aposentando, mesmo ainda sendo uma pessoa produtiva, pela dificuldade em manusear aplicativos de chamadas e GPS, fazendo com que perdessem seus empregos.

Este será um fenômeno presente em todas as áreas e níveis hierárquicos e, por isso, merece atenção.

Flexibilidade

As pessoas deverão se preparar para serem profissionais flexíveis e abertos à mudanças, inclusive de áreas. Um dos segredos é estar preparado para a velocidade com que as coisas acontecem e se transformam.

Empregadores e funcionários deverão estar preparados para mudanças radicais no modelo de trabalho, como o trabalho remoto e a flexibilidade de horário. Apesar de serem fatores que agregam na satisfação do profissional com seu emprego, o formato não será uma opção e muito menos um benefício.

Humanização

Para concluir, é importante destacar que, apesar de programações gigantescas de algoritmos, ainda existe um fator orgânico que, pelo menos por enquanto, leva vantagem sobre a tecnologia, que seria a intuição, o “feeling profissional”.

Este ainda deve ser um dos elementos mais importantes que vão mensurar o talento de um trabalhador por algum tempo. 

É importante lembrar que para cada emprego que se extingue, outros surgirão, mas, não para competir com máquinas e sim para aperfeiçoar aquilo que o computador não tem: como empatia, criatividade, compaixão, emoção!

Por Denise Pitta, fundadora e CEO do Portal Fashion Bubbles (Instagram: @fashionbubblesoficial )

O Fashion Bubbles é um portal de moda, beleza, inovação e estilo de vida, no ar desde 2006 e com cerca de 10 mil artigos publicados. Lá, você pode encontrar conteúdo informativo sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *