user friendly

10 dicas para criar um site “user friendly”

Por Etus

Quantas vezes você já pesquisou por um assunto no Google, acessou um site e logo depois saiu da página por não encontrar o que procurava, o layout era muito confuso, ou demorava para carregar?

Esse tipo de situação geralmente acontece quando um site não é “user friendly”, ou seja, ele não tem uma usabilidade navegável, não é fácil de ser acessado. 

Para evitar que isso aconteça é necessário investir em técnicas e tecnologias, para que a página seja compreendida de forma instantânea, autônoma e intuitiva.

E é inegável que apesar do avanço e popularização das redes sociais, o site continua sendo uma dos principais pontos de contato entre uma empresa e a sua persona, por isso, precisa de cuidados na sua criação, manutenção e atualização frequente.

A usabilidade é um conceito fundamental que diz respeito à experiência e facilidade de uso da audiência. Pois, se uma pessoa interessada não conseguir navegar no seu site, dificilmente ela retornará. 

E quem não quer ter um site na “boca do povo” não é verdade? Com um excelente tráfego orgânico e gerando boas vendas?

Se você se interessou por este tema, fica de olho nestas dicas que com certeza irão te ajudar!

Saiba como criar e manter um site “user friendly”

1- Capriche na versão mobile

Hoje em dia as pessoas costumam fazer tudo pelo celular, conferir as redes sociais, fazer compras, assistir vídeos, e quando se fala de acesso em sites, a situação não é diferente. 

Por isso, ele precisa ter uma versão mobile acessível, ou seja, a forma como seu design e conteúdo é distribuído deve ser adequado para este tipo de acesso.

Lembre-se que nos smartphones as pessoas estão muito mais sujeitas a interrupções ou distrações, afinal o conteúdo compete com barulhos do ambiente e as notificações que chegam a todo instante.

Diante disso, quanto melhor a usabilidade melhor será a chance do internauta ler o conteúdo até o final.

Mas, não pense que é só migrar o conteúdo do formato para o desktop não?

Esse processo exige muito mais do que isso, é preciso pensar na experiência do usuário.

Outra informação muito importante sobre esse item, está relacionada aos buscadores, como o Google, por exemplo. Especialistas afirmam que quanto mais o site é “user friendly” melhor será o seu posicionamento orgânico nas pesquisas do Google, visto que metade das buscas são feitas pelo celular, segundo a empresa. 

2- Insira certificado SSL

O certificado SSL (“Secury Sockets Layer”) protege as informações importantes dos internautas que acessam um determinado site, onde esse recurso está instalado.

Quer entender isso de forma prática?

Acesse qualquer site e verifique se ele apresenta a sigla: “https://”. 

O “s” que aparece na sigla confirma que esta página possui certificado de segurança e os seus dados estão protegidos. 

Outro sinal de segurança de um site é o símbolo de cadeado que fica localizado na barra do navegador, no canto esquerdo, ele também indica que a página possui certificações que atestam a sua confiabilidade.

Este recurso digital geralmente atribui mais tranquilidade para a sua audiência, para que em uma compra online ou mesmo no preenchimento de um formulário, não haja nenhum risco de que as informações possam ser hackeadas. 

3- Planeje o conteúdo e as sessões com cuidado

A distribuição do conteúdo do seu site deve ser boa a ponto de facilitar o acesso das pessoas não só na página inicial como em qualquer outra página. 

Por isso, veja se a estrutura do site é direta e organizada, se não há muitas seções, categorias ou tópicos amplos.

Vale destacar que quanto mais tempo o usuário permanecer no seu site, mais páginas ele acessa e mais indicações ele fará, o que irá contribuir com as taxas de permanência e consequentemente também irá favorecer com o seu ranqueamento nas buscas orgânicas no Google. 

4- Aplique técnicas de SEO

De forma simplificada, pode-se definir as técnicas de SEO, como estratégias para otimização de conteúdo com objetivo de melhorar o posicionamento de sites ou blog em buscadores como: Google, Bing e Yahoo.

Um conteúdo otimizado é mais fluído e compreensível para o leitor, por isso, ele torna-se um requisito essencial para ter um site “user friendly”.

Desta forma, invista não só na qualidade do texto, mas também na forma como ele se apresenta. Subtítulos, imagens, links internos e externos, podem te ajudar nessa missão. 

5- Atualize os plugins com frequência

Se o seu site foi criado no WordPress, fique atento com as atualizações de plugins, pois eles são fundamentais para garantir uma boa velocidade e performance.

Além disso, pesquise sempre que possível em novos plugins que possam ser instalados para ajudar a personalizar ainda mais a experiência do usuário com navegação na web. 

6- Tenha um site acessível

Um site “user friendly” precisa estar em conformidade com os diversos padrões de programação acessível tanto para a web quanto móvel existentes.

Para isto, é importante estar atento nos requisitos básicos, tais como:

  • Descrição das imagens;
  • Hierarquia de cabeçalhos;
  • Links e atalhos de navegação;
  • Estrutura de formulários;
  • Idioma principal usado na página;
  • Metadados HTML da página;
  • Elementos descontinuados. 

7- Aplique boas práticas de design

E para contribuir na criação do conteúdo e tempo de permanência do leitor é preciso aplicar as boas práticas de design, são elas:

  • O estilo e tamanho das fontes deve facilitar a leitura;
  • As cores devem seguir a identidade visual da marca e contribuir com a identificação dos elementos;
  • Identifique os links externos para que os leitores compreendam com facilidade;
  • Evite alinhamento centralizado dos blocos de texto.

8- Chamadas para ações claras

A utilização de call-to-action (CTA) é indispensável para a navegabilidade e SEO, por isso, escolha termos que facilite a tomada de ação do leitor, como por exemplo: clique aqui, compre agora, saiba mais, baixe aqui, entre outros. 

Mas, cuidado para não sobrecarregar a audiência colocando palavras-chave exageradamente. 

9- Formulários simples

Quer gerar leads no seu site? Então, crie formulários simples!

Colete as informações dos visitantes que são indispensáveis para o seu negócio, de acordo com os objetivos traçados, pois, quanto mais perguntas o questionário tiver, mais difícil será coletar os dados.

10 – Faça testes

E por último, mas não menos importante: faça testes!

Peça para uma pessoa que possui poucas habilidades de informática que acesse seu site e veja se ela consegue navegar, entrar nas sessões, preencher um formulário ou até comprar um produto. 

Se ela conseguir fazer todas estas atividades, parabéns você conseguiu criar um site “user friendly”. 

Agora, se em alguma das atividades isso não acontecer é preciso parar, refletir para perceber onde estão as possibilidades de melhoria! 

Pois, se a pessoa sentiu alguma dificuldade, os seus clientes também poderão tê-la. E quanto mais empecilhos para navegar em um site, menos leads, e consequentemente menos vendas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *