Quatro principais tendências de insights do consumidor para 2021

Em 2020, a pandemia global mudou a maneira como as pessoas interagem umas com as outras, seja nos negócios, nas compras ou nas experiências do dia a dia. 

Hoje se procurarmos no Google por uma clínica de olhos em Jundiaí, uma médica dermatologista em Cuiabá, um escritório de advocacia em Santo André ou até mesmo por um médico alergologista no Rio de Janeiro, em todos esses casos, iremos procurar as avaliações que esses serviços/produtos/marca tiveram, incrível como o senso crítico tem sido tão importante, em todos os lugares e regiões.

Produtos ou serviços que pareciam seguir uma trajetória clara descobriram que não era mais o caso devido ao comportamento imprevisível do consumidor.

Não apenas os consumidores mudaram, mas a maneira como fazíamos pesquisas mudou. 

O vídeo decolou este ano, tanto para vídeo não moderado, onde as pessoas podiam gravar atividades e conversas, quanto para entrevistas de vídeo ao vivo moderadas, onde você podia falar com as pessoas individualmente ou em sessões de grupo.

E, claro, 2020 foi o ano para acompanhar as tendências rápidas do consumidor. 

Fizemos nosso próprio monitoramento ao longo do ano para entender as mudanças nos sentimentos das pessoas sobre tudo, desde o comportamento da marca até os gastos com as férias. 

Você também fez o seu, para sustentar suas previsões e entender para onde pensava que as coisas estavam indo.

Olhando para 2021

Por causa da pandemia, o comportamento do consumidor mudou, o que causou muitas mudanças para as empresas. 

Aqui estão algumas mudanças de 2020 que continuarão em 2021:

  • Foco em novos valores do consumidor – Mudanças claras na percepção dos consumidores sobre saúde, segurança e casa.
  • Investimento em experiência de produto e inovação para impulsionar o crescimento – As empresas precisam estar prontas e antecipar o que está por vir.
  • Adoção de tecnologia de insights centrados nas pessoas – Você não pode simplesmente confiar em data agora. Você precisa de percepções qualificadas mais profundas e tudo precisa funcionar junto.
  • Alinhamento das capacidades de negócios com a demanda do consumidor – As empresas estão analisando suas competências essenciais para ver o que podem alavancar.
  • Reinvestimento em marcas e fidelidade – À medida que os consumidores experimentam novos produtos, as empresas trabalham para ganhar ou manter a fidelidade à marca.

O que isso significa para os profissionais de pesquisa à medida que avançamos em 2021? 

Aqui estão as principais tendências que prevemos para que as equipes de insights atinjam seu “novo normal”.

Tendência nº 1: check-ins de pesquisa rápidos e frequentes

Precisamos agir rapidamente para aprender. Você tem isso sistematicamente integrado à sua organização? 

Precisa ser uma capacidade, não um projeto único ou de emergência. Ele precisa estar integrado ao DNA da sua empresa. 

A capacidade de ter ideias na organização sendo construída ao mesmo tempo em que você conduz pesquisas no contexto para ajudar a aprimorar essas ideias e aprender em ciclos curtos e iterativos.

Estudo de caso: Loja de conveniência

Problema: uma rede de lojas de conveniência confiou em métodos de pesquisa que levaram meses para serem concluídos (por exemplo, grupos de foco e pesquisas em grande escala). 

Eles precisavam de uma maneira melhor e mais rápida de monitorar seus clientes. Como o comportamento do consumidor estava mudando tão rapidamente, eles precisavam acelerar suas pesquisas e conduzi-las em um ciclo contínuo.

Solução: eles mudaram sua pesquisa para um modelo em que poderiam fazer projetos mais curtos e rápidos que informam os esforços de inovação em questão de dias. 

Agora é parte de seu ciclo de inovação contínuo, permitindo que eles se adaptem a um ambiente em rápida mudança, respondendo no meio do caminho confuso do comportamento de seu consumidor.

Tendência 2: Pesquisa ágil qual + quant

O Agile qual+quant permite que você faça pesquisas rápidas que oferecem a profundidade e a validação do que você precisa.

Se você tem apenas a opção de qual ou apenas a opção de quant, ou se você tem que ir a dois fornecedores diferentes, provavelmente não será rápido o suficiente para você.

Como agile qual + quant trabalham juntos:

  • Trabalhos a serem realizados – descobrir e dimensionar
  • Experiência do cliente/comprador – explorar e medir
  • Conceitos de produto e posicionamento – identificar e iterar
  • Soluções de anúncios e embalagens – validar e otimizar
  • Sprints de inovação – construir/testar/aprender
  • Estudo de caso: Refeições prontas

Problema: essa empresa estava se preparando para lançar uma nova linha de refeições prontas e queria descobrir se as seis novas ofertas eram atraentes e atendiam às necessidade do consumidor. 

Eles estavam perto do lançamento e haviam feito pesquisas limitadas, necessárias para aprofundar rapidamente o apelo do produto e a satisfação com a nova linha de soluções de refeições.

Solução: Eles conduziram uma pesquisa de quantificação de 90 pessoas seguida por seis IHUTS para cada sabor do produto. 

Esses grupos receberam o produto para experimentar em casa e forneceram feedback detalhado sobre sua experiência de uso. 

Em seguida, eles conduziram 12 entrevistas ao vivo de acompanhamento para responder a quaisquer perguntas restantes. 

Tudo isso aconteceu em um único estudo e em questão de semanas, não meses.

Tendência 3: Reforçando na construção da marca

De acordo com um estudo recente, 45% das pessoas afirmam que durante o ano de 2020 mudaram suas preferências de marca. 62% esperam mudanças permanentes. 

Se você se beneficiou da troca de marca durante a pandemia, ou se você é uma marca que não se beneficiou, agora você deve determinar como construir sua marca e torná-la relevante para o comportamento do consumidor.

Enquanto 2020 foi em grande parte uma pausa, para 2021 há um enorme risco e custo de 

oportunidade com o potencial dos consumidores para trocar de marca.

Estudo de caso: frios

Problema: uma marca de alimentos queria entender como reter novos consumidores gerados durante a pandemia.

Solução: eles conduziram um estudo de qualificação de vários dias com um público-alvo de switchers para entender as percepções dos consumidores sobre sua marca e ofertas de produtos.

Eles descobriram o que poderiam construir para manter esses novos clientes, mesmo quando os produtos regulares dos clientes voltassem às prateleiras.

Tendência 4: Pesquisa DIY Assistida

DIY assistido está se tornando uma parte crítica de como avançamos. O que está mudando e por que está ganhando impulso? 

Um bom exemplo são os produtos masculinos da Harry sua equipe estava ficando sobrecarregada com a quantidade de pesquisas DIY e queria fazer uso eficiente do tempo de cada pessoa. 

Eles também viram a necessidade de fazer pesquisas mais complexas, então estavam procurando maneiras de fazer o que podiam por si próprios e obter serviços de consultoria de primeira linha quando precisassem.

Do lado do serviço completo, muitas organizações têm equipes de insights menores que trabalharam em estreita colaboração com as marcas para identificar problemas e definir métodos de pesquisa, mas não estavam realmente realizando pesquisas elas mesmas. 

Para eles, mudar totalmente para uma ferramenta DIY seria perturbador. Ter ajudado em DIY é um bom meio-termo. 

Se for muito complexo, eles têm ajuda, sem precisar mudar de fornecedor.

Estudo de caso: seguradora

Problema: uma seguradora queria abordagens qualitativas mais rápidas para apoiar o marketing interno, CX e sprints de inovação.

Solução: eles adotaram uma plataforma de pesquisa que lhes permite recrutar e conduzir pesquisas qual DIY rápidas, com a flexibilidade de fornecer suporte complementar em design, moderação e análise quando necessário.

Temos muitas coisas desconhecidas pela frente, mas podemos ter certeza de que nosso mundo mudou quem somos e a maneira como pensamos e valorizamos nossa família e lar. 

Todos os nossos negócios precisam continuar a entender isso, compartilhar histórias e se concentrar em mais do que apenas datas. 

Ao fornecer abordagens melhores e mais rápidas para obter insights humanos mais profundos, as empresas podem ajudar a construir soluções melhores que criem significado para os consumidores.

Texto escrito por Monique Horrana do grupo KOP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *