Conheça 7 dicas para se recuperar financeiramente

A pandemia da COVID-19 causou uma forte retração econômica em todo o Brasil. Muitas empresas de vários setores decretaram falência e milhares de pessoas se endividaram. 

Se você está procurando uma forma de ficar livre das dívidas e se recuperar financeiramente, preste atenção em nossas 7 dicas abaixo. 

Seguindo todas elas à risca, o seu saldo bancário jamais ficará no vermelho novamente.

1) Saiba mais sobre educação financeira

Muita gente acaba se endividando justamente por falta de informação. Todas as pessoas deveriam saber um pouco mais sobre educação financeira. 

Até mesmo as escolas deveriam ensinar esse tema tão importante nos dias atuais. 

Um indivíduo antenado em educação financeira jamais se endivida sem necessidade. 

Dessa forma, para se recuperar financeiramente, o mais depressa possível, adquira o máximo de conhecimento sobre educação financeira. 

Assista vídeos, palestras e workshops sobre esse assunto. Pode ter certeza de que a sua mentalidade em relação ao seu dinheiro vai ser outra. Fazer um curso de coaching pode ser bastante útil nesse sentido. 

 

2) Tente uma negociação das suas dívidas

Antes de mais nada, é necessário fazer uma lista com o valor de cada dívida, para saber quanto você deve na praça. 

Depois de tomar ciência do total do montante, é hora de tentar uma negociação amigável com cada credor. 

Se o valor for alto demais, tente dividir em um maior número parcelas possíveis e pague-as rigorosamente em dia. Só não deixe de negociar o valor que você deve. 

Durante a negociação, verifique a possibilidade da isenção de juros e multas das parcelas. 

Se você já tiver em mãos um valor para dar de entrada, faça o abatimento para dar uma aliviada nas parcelas que ainda virão. 

Em suma, negocie as suas dívidas o mais depressa possível, caso contrário, elas vão virar bola de neve! 

 

3) Estipule um valor para o orçamento doméstico

Quando estamos endividados, é preciso agir com muita cautela para não afetar ainda mais a nossa saúde financeira. 

E não é novidade para ninguém que o orçamento doméstico é um dos grandes vilões quando o assunto é endividamento. 

Por isso, é preciso estipular um valor máximo que será destinado ao seu orçamento doméstico mensal. 

Dessa forma, fica mais fácil manter as rédeas da situação e não gastar mais do que você estipulou anteriormente. 

Tenha em mente que as despesas não podem ser maiores do que o valor da sua renda mensal. 

Dessa forma, liste as principais contas da casa e o valor destinado para as compras de supermercado. Pronto!

 

4) Poupe sempre que puder

Essa é uma maneira sensata e inteligente para não se endividar, mesmo que você tenha dívidas por aí, mas que elas estejam sob controle, que tal começar a poupar?

É isso mesmo! Uma reserva financeira, mesmo que seja pequena, pode evitar que você contraia novas dívidas. 

Uma boa dica é estipular uma quantia do seu salário que irá para a poupança todos os meses. 

Se você adquirir o hábito de poupar, depois de um ou dois anos, vai se espantar com o valor que estará disponível na sua conta bancária. 

O segredo é não gastar tudo o que ganha. Conheça a história de Henry Ford e tenha mais motivação no dia a dia. 

 

5) Liquide as dívidas com juros mais altos primeiro

Suponha que você esteja endividado até o pescoço com vários credores. 

É fundamental que as dívidas com juros mais altos sejam liquidadas primeiro. 

Dessa forma, o valor total não aumenta ainda mais, o que pode fazer você se enrolar bastante com suas finanças. 

É um pequeno detalhe, mas que pode fazer uma baita diferença. 

Juros altos de dívidas em aberto costumam pesar bastante no orçamento. 

Sendo assim, verifique quais são as dívidas que cobram juros exorbitantes (como cartão de crédito, por exemplo) e dê preferência para elas na hora do pagamento. 

É um alívio e tanto. Ficar pagando juros altos é bem complicado! 

 

6) Não assuma novas dívidas e diminua os gastos

Um dos principais erros de quem está endividado é assumir novas dívidas para quitar as antigas. 

Quer um bom exemplo? Muita gente faz empréstimos bancários com altos juros para pagar dívidas anteriores, o que é um erro crasso. 

Você jamais deve fazer isso, caso contrário, vai se enrolar ainda mais financeiramente.  

Uma boa dica é reduzir os seus gastos mensais como forma de economizar. 

Corte todas as despesas supérfluas da família, pelo menos por algum tempo. Além disso, procure ter uma outra fonte de renda além do seu trabalho. 

O que não vale é assumir novas dívidas! Fique por dentro da história de Samuel Klein e surpreenda-se com tamanha inovação. 

 

7) Vai comprar? Pague à vista

Você precisa se dar conta de que quando for comprar algo, deve pagar sempre à vista. 

Os parcelamentos são os grandes vilões de qualquer orçamento, já que podem comprometer boa parte da sua renda mensal. 

Por isso, na hora de pagar, evite parcelar a dívida e pague à vista.

Muitas empresas oferecem descontos atrativos para clientes que pagam à vista. 

Além de você pagar um valor menor, não vai fazer mais uma dívida na praça e não corre o risco de ficar com o nome sujo no SERASA. 

Pagar a vista é sempre um excelente negócio. O seu bolso e a sua saúde financeira agradecem! 

Agora é seguir as nossas dívidas para se recuperar financeiramente e nunca mais se endividar na vida. 

Quando o assunto é dinheiro, o máximo de cautela ainda é pouco. Boa sorte com suas finanças! 

 

Venha para o IBND

Os cursos do IBND são ministrados por profissionais altamente capacitados e com larga experiência no mercado. Aqui, o nosso compromisso é a sua realização como ser humano. 

O IBND oferece soluções personalizadas que podem contribuir para o seu sucesso profissional e pessoal. Em nossa instituição, cobramos um preço justo e priorizamos o seu aprendizado. Estamos te esperando! 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *