Como os hospitais particulares estão enfrentando a crise do coronavírus?

O hospital particular, diferentemente do hospital público, atende somente pacientes dispostos a pagar pelo tratamento, bem como pessoas que possuem plano de saúde.

No entanto, a pandemia de coronavírus está se espalhando tão rapidamente e intensamente que não só os hospitais públicos estão ficando saturados, como também os hospitais particulares.

No Brasil, o número de casos ainda é pequeno quando comparado aos Estados Unidos, Itália, Espanha e outros países europeus. Contudo, devido à fragilidade do nosso sistema de saúde, a preocupação é bastante intensa.

Desse modo, o governo seguindo as recomendações da OMS, optou pelo isolamento social para evitar uma rápida propagação do vírus. 

Todavia, isso não está sendo suficiente, e o hospital particular está precisando se reinventar com essa crise.

Hospital particular abre mais vagas para pacientes

Uma das medidas que os hospitais particulares estão tomando neste momento é a ampliação de investimentos em leitos e respiradores.

O que se vê ainda não é uma saturação das unidades de terapia intensiva como ocorreu na Itália, Estados Unidos e outros países.

Apesar do vírus se espalhar rapidamente, a situação ainda está um pouco controlada nos hospitais particulares do Brasil. Contudo, a antecipação para se evitar um problema futuro é fundamental neste momento.

Desse modo, alguns hospitais particulares estão aumentando investimentos em leitos, respiradores, unidades de terapia intensiva, para dar conta da demanda em um possível pico da doença.

Isso irá garantir que pessoas que possuem planos de saúde não ficarão sem atendimento médico, mesmo se a situação se intensificar.

Ampliação de vagas para profissionais da saúde

Uma outra decisão que também vem sendo tomada pelo hospital particular é o aumento do quadro de funcionários do setor de saúde.

Muitos enfermeiros, médicos e técnicos de enfermagem, estão sendo contratados de maneira temporária para dar conta da demanda.

Claro que isso não é válido para todos os hospitais, pois há alguns que já emitiram nota dizendo que pela situação estar razoavelmente controlada, ainda não estão precisando aumentar o quadro de funcionários.

No entanto, outros hospitais estão prevendo que a chegada do inverno pode trazer um pico de casos muito rápido, e que se decisões não forem tomadas agora, a situação irá se agravar bastante nos próximos dias.

Aumento no número de voluntários

Além da contratação dos profissionais ligados à área da saúde, diversos hospitais particulares também estão recrutando voluntários neste momento.

Afinal, não é só o chamado “time de frente” que precisa aumentar. Com o aumento de pacientes nos hospitais, há também a necessidade de mais limpeza, bem como de mais alimentação para os pacientes.

Por isso, estão sendo recrutados, tanto de forma temporária quanto voluntária, cozinheiras, profissionais da limpeza, pedreiro, servente de pedreiro, biólogo, dentre outros profissionais necessários para a manutenção do hospital neste momento.

Construção de hospital particular de campanha

Outras atitudes também estão sendo tomadas por algumas redes particulares. Uma delas é a construção de hospitais de campanha para atender uma quantidade maior de pacientes.

Como o processo de construção de um hospital de campanha não é rápido, é preciso se antecipar ao pico, e esse é o momento mais oportuno para se começar a construção de um hospital.

Nos estados com mais casos como São Paulo e Rio de Janeiro, a construção de hospitais de campanha está partindo tanto do poder público quanto das redes particulares para garantir que não falte leito nos hospitais. Todo empenho é necessário nessa hora.

A luta contra o coronavírus depende de todos

Como é possível ver, estamos vivenciando um momento atípico. Nessa hora, poder público e iniciativa privada precisam se unir para lutar contra esse vírus mortal e silencioso.

São cientistas que estão passando dias e noites estudando o vírus para então descobrir uma cura. São médicos abnegados dando o seu máximo para que o número de mortes seja o menor possível.

São enfermeiros, técnicos de enfermagem, lutando para que os pacientes vençam a batalha pela vida. Isso sem contar outros tantos profissionais nos bastidores, trabalhando para minimizar os impactos da pandemia.

Somente por meio da união e da conscientização de toda a sociedade é que conseguiremos vencer essa guerra que está sendo travada. O tempo e a intensidade da pandemia serão determinados pela colaboração de cada um de nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *