Como funciona o orçamento contra incêndios?

Os incêndios podem acometer as mais variadas edificações, causando grandes prejuízos e colocando a vida das pessoas em risco.

Por esse motivo, constantemente são realizadas instalações e vistorias para assegurar a eficácia do sistema contra incêndio, que normalmente envolvem alarmes, extintores, detectores de fumaça, sinalização, entre outros elementos.

Por meio do projeto de incêndio, é possível fazer a solicitação do orçamento do sistema contra incêndio, que é fundamental principalmente para projetos maiores.

O cliente em questão, recebe cada orçamento nivelado tecnicamente de acordo com suas necessidades para escolher o que melhor lhe atende.

O que é o projeto de combate a incêndio?

Conforme o nome indica, o projeto de combate a incêndio visa estabelecer a prevenção e controlar fatores de risco.

Para o seu desenvolvimento, é preciso recorrer a profissionais especializados, para definir as características técnicas dos equipamentos que devem ser instalados, quantidade, localização, entre outras indicações imprescindíveis.

Entre os elementos que podem ser necessários estão:

  • Alarme de incêndio;
  • Detectores de fumaça;
  • Sinalização;
  • Extintores;
  • Saídas de emergência.

Quais são os principais tipos de extintores?

É importante entender que existem diferentes classificações de incêndios e isso reflete nos tipos de extintores que podem ser instalados nos locais.

Por esse motivo, placas com informações a respeito do equipamento e seu uso adequado são fundamentais. As classes de incêndio são:

  • A: ocorrem em materiais sólidos combustíveis, tais como tecidos e madeira;
  • B: originados de líquidos inflamáveis;
  • C: resultado do acometimento de equipamentos elétricos, por exemplo, quadros de força;
  • D: causados por reação em cadeia durante a combustão envolvendo metais pirofóricos.

Considerando as especificações dos tipos de incêndio apresentados, no caso dos extintores, é possível encontrar as seguintes opções:

  • Pó químico: direcionado principalmente para classe B, mas pode ser usado em casos A e C;
  • Extintor de água pressurizada: recomendado essencialmente para os incêndios de classe A;
  • Espuma mecânica: é eficiente para incêndios classe A e B;
  • Gás carbônico: indicado para classe C, porém, pode ser usado em casos A e B.

Para a classe D, a recomendação pode ser mais distinta, por se tratar também de uma alternativa em pó, porém, específica para esses casos.

Seja um extintor de água ou qualquer outro tipo, é indispensável ter a instalação correta, assim como a localização, que deve ser analisada por profissionais.

Opções como o suporte para extintor e placas informativas, também devem ser aplicadas para um ambiente mais seguro.

Vale lembrar que esses equipamentos também precisam passar por vistorias regulares, em especial, para evitar o comprometimento da carga e disfunções.

Como funciona um sistema de detecção de fumaça?

A precisão que um sistema que realiza a detecção de fumaça é interessante, em especial, por existir mais de um tipo de detector de fumaça, sendo os principais o fotoelétrico e o iônico.

A opção iônica é a mais aplicada em edifícios e residências, pois apresenta maior sensibilidade à fumaça, além de ter um custo inferior.

Nessa opção, o material radioativo emite partículas alfa, que por sua vez, ionizam os átomos do ar.

No momento em que a fumaça entra no aparelho, a ionização é interrompida e neste momento, o alarme soa. Há possibilidade de realizar a programação para acionar jatos d’água, entre outras opções.

O material radioativo neste sistema gera receio em algumas pessoas e debates, porém, aponta-se que a as partículas alfa não atravessam as paredes do aparelho.

Ainda assim, conforme citado, há outra opção de detector, que consiste nos modelos fotoelétricos. Esses modelos medem as variações originadas da fumaça em um feixe de luz.

No seu modo de funcionamento, quando existe a presença de fumaça, ela penetra a estrutura e resulta no desvio do feixe de luz que antes estava em linha reta. Ao atingir o sensor, o alarme é disparado.

Saiba mais sobre os alarmes de incêndio

Quando se trata de um sistema de detecção e alarme de incêndio, diversos equipamentos são indispensáveis para que o ambiente tenha mais segurança, como:

  • Acionadores manuais contra incêndio;
  • Central de alarme;
  • Sinalizadores;
  • Módulos de entrada e saída.

Todos os componentes deste sistema certamente são fundamentais, porém, a central de alarme recebe grande destaque por coletar os dados das condições dos detectores.

A partir deste ponto, os sinalizadores são ativados caso tenha uma situação de emergência. Sendo assim, cada dispositivo presente na área protegida está relacionado a central.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *